sicnot

Perfil

País

Cáritas lança campanha para ajudar a Madeira

Zona histórica de São Pedro, centro do Funchal

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

A Cáritas Portuguesa lançou esta noite uma campanha de angariação de fundos para ajudar a população afetada pelos incêndios da Madeira, tendo aberto uma conta bancária para quem quiser contribuir, adiantou à Lusa o presidente da organização.

Eugénio Fonseca, em comunicado enviado para a agência Lusa, lamenta os incêndios que têm deflagrado nos últimos dias no norte do país e, em especial, na Madeira.

"Nesta hora de aflição para os nossos compatriotas no norte do país e em especial na cidade do Funchal, na Ilha da Madeira, a Cáritas, em resposta às dezenas de pessoas que a têm contactado, abriu uma conta solidária com o nome "Cáritas ajuda a Madeira" - 0035 0697 0059 7240130 28, da CGD -, para agilizar o apoio de emergência necessário para as populações mais atingidas", anuncia o presidente da instituição.

Sublinhando que os fogos que estão a deflagrar um pouco por todo o país são, "infelizmente, uma quase rotina" dos verões em Portugal, o presidente da Cáritas apela ao trabalho das autoridades que "têm o dever de descobrir os responsáveis por estes atos criminosos para que possam ser exemplarmente punidos".

Para a Cáritas Portuguesa, "é fundamental que a questão da defesa da floresta seja encarada como uma prioridade no nosso país".

No comunicado, a Cáritas Portuguesa salienta ainda o "trabalho generoso e heróico dos bombeiros que, de norte a sul do país, e ilhas, têm combatido os incêndios até à exaustão e arriscando, quase sempre, a própria vida".

Lusa

  • "Queremos, o mais rapidamente possível, voltar à normalidade"
    1:08

    País

    O Presidente do Governo Regional da Madeira fez o primeiro ponto da situação de hoje, no Funchal, esta manhã. De acordo com Miguel Albuquerque, deram entrada nas urgências mais de 300 pessoas. 80 pessoas continuam internadas em diferentes hospitais e, apesar da melhoria do vento, há ainda diversos focos de incêndio ativos que preocupam as autoridades. Albuquerque considera que a situação é grave mas é preciso repor a normalidade na ilha, o quanto antes.

  • Mais um suspeito detido pelo incêndio na Madeira
    2:05

    País

    Há mais que um detido por suspeitas de fogo posto na Madeira. As últimas informações são avançadas pela correspondente do Expresso na Madeira, Marta Caires. Quase mil pessoas estão alojadas temporariamente em instalações do Governo Regional, incluindo no quartel do exército e no estádio do Marítimo

  • Turistas estão a ser acompanhados na Madeira

    País

    ​A presidente da Associação de Comércio e Indústria do Funchal, Cristina Pedra, disse que todos os turistas estão a ser acompanhados na Madeira e garantiu que a imagem da ilha não está a ser afetada pelo incêndio.

  • As confissões de Sérgio Conceição: do futuro no FC Porto à zanga com Rui Vitória 
    43:14
  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.