sicnot

Perfil

País

Fogos na Madeira ainda não estão extintos, mas situação melhorou

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, afirmou esta quarta-feira que os incêndios na ilha ainda não estão extintos, porque existem ainda focos ativos a ser combatidos, embora a situação esteja mais calma.

"Este incêndio não está extinto", declarou o governante madeirense aos jornalistas, no âmbito da visita que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, efetua hoje à Madeira para "dar um abraço de Portugal à ilha".

Segundo o responsável insular, na região ainda existem "focos de incêndio ativos" a ser combatidos por várias corporações de bombeiros, apoiadas mais de uma centena de efetivos enviados de Lisboa e Açores, sublinhando que "a situação está muito melhor".

"Vamos continuar com equipas no terreno e há áreas florestais que ainda estamos no exercício de combate aos fogos, de contenção", complementou.

Questionado sobre a estimativa dos danos provocados pelos incêndios que deflagraram segunda-feira na freguesia de São Roque e se alastraram a diferentes pontos do concelho, Albuquerque disse que o levantamento efetuado de "forma rigorosa", em conjugação com as câmaras municipais das zonas afetadas "no prazo de duas semanas".

O governante insular recusou adiantar valores dos prejuízos causados pelos incêndios, admitindo que "já é elevado", tendo em conta o conjunto de habitações danificadas pelo fogo, acrescentando que, "consoante as finalidades", o executivo madeirense vai "recorrer a um conjunto de financiamentos, onde também os fundos europeus não está colocados fora de questão".

"Vamos ter atuar na área social, de habitação de infraestruturas e recomposição de algumas áreas verdes que foram danificadas, de cobertura florestal e promoção turística", realçou, sublinhando que o pior prejuízo foi a "perda de vida de três pessoas", na noite de terça-feira, na freguesia de Santa Luzia.

Albuquerque rejeitou a possibilidade de a imagem turística da região ser prejudicada por esta situação, sustentando que "houve o cuidado de não circunscrever a questão da Madeira a estes incêndios".

"A Madeira tem um conjunto de oferta turística muito maior do que é esta zona que foi afetada pelos incêndios", vincou, adiantando que "os hotéis continuam a estar cheios" e fez um apelo no sentido de as pessoas ajudarem a ilha ao visitarem a região.

O chefe do executivo madeirense também desvalorizou as críticas sobre o atraso no pedido de ajuda à República para combater o fogo, considerando que esta é "uma questão que não tem sentido", porque "os meios foram acionados em função da situação".

"Estive em contacto com a ministra da Administração interna e logo que foi necessário, em função dos pareceres da Proteção Civil, pedimos de imediato esse reformo e ele foi disponibilizada muito rapidamente", salientou.

Miguel Albuquerque destacou que "houve uma altura em que os fogos estavam praticamente controlados e logo que situação se agravou", tendo as autoridades regionais nessa altura adotado os "mecanismos de intervenção", tendo as forças de apoio para reforçar o combate ao fogo chegado à ilha em menos de 12 horas.

Os incêndios que surgiram na Madeira na passada segunda-feira afetaram sobretudo o concelho do Funchal, provocando três mortos, cerca de mil desalojados provisórios, danos em dezenas de habitações e avultados danos materiais.

Lusa

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.