sicnot

Perfil

País

Incêndios ameaçam casas e fábricas em Gondomar

Melres e Medas, Gondomar

OCTAVIO PASSOS

O concelho de Gondomar regista três incêndios "com várias frentes ativas que ameaçam casas e fábricas", relatou agência à Lusa o presidente da câmara local, Marco Martins, que lamentou a falta de meios aéreos pesados.

"Temos noção de que não há mais meios nem materiais, nem humanos, no que diz respeito a bombeiros. Mas os meios aéreos falharam. Estive desde manhã a solicitar meios aéreos pesados que não chegaram. Se tivessem chegado os incêndios que lavram em Gondomar tinham sido muito mais fáceis de resolver", referiu o autarca.

Na sequência dos incêndios que lavram em Gondomar e estão a atingir três localidades - Foz do Sousa, Jovim e Valbom - resultando de reacendimentos de fogos que tiveram origem em S. Pedro da Cova, a câmara de Gondomar cancelou todas as licenças para fogo-de-artifício.

"Os bombeiros neste momento nem conseguem extinguir os incêndios ativos para iniciar a fase de rescaldo, quanto mais preparar a noite difícil que ai vem. A previsão é que os ventos vão aumentar muito de intensidade", disse Marco Martins.

"Está descontrolado com três incêndios, que se dividem em várias frentes cada. O único onde o combate está a decorrer mais ou menos bem é em Valbom, mas as várias frentes já ameaçaram muitas casas, fábricas e postos de combustível", acrescentou.

O autarca confirmou, ainda, que de manhã cerca de 100 pessoas foram retiradas de casa, tendo-lhes sido autorizado entretanto que regressassem.

Os piores momentos viveram-se às 07:00 e 14:00 horas.

Esta situação também resultou no corte da A43, desconhecendo-se para já quando é que a autoestrada irá reabrir.

Ainda de acordo com o presidente da câmara de Gondomar, neste concelho estão cerca de 600 operacionais no terreno, juntando as corporações de bombeiros, GNR, INEM, PSP e dois pelotões do Exército que chegaram na madrugada de quarta-feira.

A vinda de meios do Exército resulta da ativação do Plano Distrital de Emergência que está em vigor desde as 00:15 de segunda-feira.

Este plano foi acionado pela primeira vez neste distrito por decisão da Comissão Distrital de Proteção Civil, à qual Marco Martins também preside.

De acordo com a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, atualizada às 19:30, no distrito do Porto estão 48 incêndios rurais ativos que mobilizam 724 homens, 226 viaturas e dois meios aéreos.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.