sicnot

Perfil

País

Ministra pede "alguma serenidade" num momento de luta contra as chamas

LUSA

A ministra da Administração Interna pediu esta quarta-feira "alguma serenidade" ao país num momento que é de luta contra os incêndios para que o combate às chamas possa ser eficaz.

"Estamos num momento de luta e, para lutarmos com eficácia, temos de manter agora alguma serenidade. A nossa primeira prioridade é, neste momento, combater estes incêndios e deixar os operacionais no terreno fazerem aquilo que sabem fazer", disse aos jornalistas Constança Urbano de Sousa.

Em declarações na povoação de Moita, à margem de uma visita ao posto de comando do incêndio que lavra em Anadia, distrito de Aveiro, a ministra lembrou que a luta é ainda contra as condições meteorológicas adversas, muito calor e muito vento, reafirmando que o foco "tem de ser o combate a estes incêndios".

A ministra admitiu a possibilidade de se tratar de fogo posto, porque de madrugada "não é o sol seguramente que faz provocar a ignição".

De acordo com segundo comandante distrital operacional de Aveiro, Pinheiro Duarte, em declarações à agência Lusa, estão no terreno a combater este incêndio cerca de 150 operacionais, apoiados meia centena de meios terrestres, dispositivo que foi reforçado ao meio da tarde com dois aviões ligeiros.

Os aviões estão a fazer descargas sobre as chamas que lavram na direção povoação de Salgueiral, uma das duas frentes do fogo (a outra progride no sentido da localidade de Barrô).

A Comissão Municipal de Proteção Civil de Anadia assinou, entretanto, na tarde de hoje, o Plano de Emergência, anunciou a Câmara daquela cidade.

Lusa

  • "Até para o ano", a mensagem de Ronaldo para os adeptos do Real Madrid
  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabine e 170 pilotos.

  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36
  • Funcionários dos EUA na Coreia do Norte para preparar cimeira
    2:19