sicnot

Perfil

País

Operação normalizada no Aeroporto da Madeira depois do vento forte

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A Aeroportos de Portugal (ANA) informou hoje que a operação no Aeroporto da Madeira, que sofreu alterações devido aos ventos fortes que se registaram nos últimos dois dias na ilha, está normalizada.

"A ANA -- Aeroportos de Portugal informa que a melhoria das condições meteorológicas permitiu a regularização da operação, pelo que o Aeroporto da Madeira já se encontra a operar normalmente", pode ler-se na nota.

No mesmo documento, menciona-se que "as zonas flageladas pelos incêndios que lavram na área do Funchal distam cerca de 15 quilómetro do aeroporto pelo que, em nenhum momento, as infraestruturas aeroportuárias foram afetadas, estando todos os sistemas a operar sem restrições".

A companhia aérea TAP decidiu recorrer a um avião A330 para regularizar a situação dos voos cancelados para a Madeira em virtude dos ventos fortes de terça-feira, disse à Lusa fonte do Aeroporto do Funchal, uma situação que afetou cerca de 800 passageiros.

O porta-voz da TAP adiantou que a situação foi regularizada com o recurso a dois voos da Madeira para Lisboa na manhã de hoje, numa aeronave com capacidade para 230 pessoas.

Os fortes ventos que se sentiram na cidade do Funchal nos últimos dias obrigaram ao cancelamento de vários voos dos aeroportos de Lisboa e do Porto com destino à Madeira, uma situação que não tem qualquer relação com os incêndios que já chegaram ao centro histórico do Funchal e provocaram três vítimas mortais, cerca de mil desalojados provisórios, muitas casas destruídas e avultados danos materiais.

Com Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.