sicnot

Perfil

País

Proteção Civil alerta para efeitos do calor e do fumo dos incêndios na saúde

OCTAVIO PASSOS / LUSA

A Proteção Civil alertou hoje para a continuação do tempo quente e seco, condições agravadas pela intensificação do vento que "dificultam a supressão dos incêndios e facilitam a sua propagação" e podem ter efeitos na saúde pública.

"De acordo com a informação atualizada e disponibilizada pelo IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera), salienta-se, para as próximas 48 horas, a persistência das condições associadas a tempo quente e seco, agravadas pela intensificação do vento", refere a proteção civil, num aviso à população.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) afirma que as condições meteorológicas e de qualidade do ar, associadas à ocorrência de incêndios florestais, "podem ter efeitos significativos na saúde pública, particularmente nos grupos mais vulneráveis da população".

Por outro lado, "estas condições meteorológicas dificultam a supressão dos incêndios e facilitam a sua propagação".

A ANPC apela à população para que tenha cuidados redobrados e adote comportamentos de precaução, para evitar os incêndios florestais.

Entre as condições meteorológicas enumeradas pela Proteção Civil estão, nas regiões do litoral, vento de noroeste até 35 quilómetros por hora, com rajadas de cerca de 60 quilómetros por hora, durante a tarde, e, temporariamente, de sudoeste, na costa sul do Algarve.

Nas terras altas do norte e centro, haverá "fluxo de nordeste moderado a forte, a partir do início da tarde, em particular acima dos 800 metros".

A humidade relativa do ar ficará abaixo de 15% no interior so país.

A Proteção Civil recorda que, nesta altura do ano, não é permitido nos espaços rurais realizar queimadas ou fogueiras para recreio ou lazer, utilizar equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos.

Lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes, fumar ou fazer lume nos espaços florestais e vias que os circundem também não são permitidos.

Beber água, manter a casa arejada e evitar a exposição ao sol, nas horas de mais calor, são outros conselhos da Proteção Civil, além de recomendar atenção especial aos recém-nascidos, crianças, pessoas idosas e pessoas doentes, que podem não sentir, ou não manifestar sede, mas devem hidratar-se.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59