sicnot

Perfil

País

Suspeito de atear fogo na Madeira fica em prisão preventiva

O homem suspeito de ter provocado o incêndio que deflagrou na segunda-feira na freguesia de São Roque, no Funchal, ficou em prisão preventiva, depois de ser submetido esta tarde a um primeiro interrogatório judicial, informou o tribunal.

A informação foi divulgada pelo Tribunal da Comarca da Madeira.

O homem detido pela Polícia Judiciária tem 23 anos e é natural da Madeira.

A mesma nota refere que o interrogatório começou perto das 16:00 e terminou às 17:30, tendo o arguido ficado indiciado pela prática do crime de incêndio florestal.

"O arguido ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva, com fundamento no perigo de continuação da atividade criminosa e alarme social", refere o documento.

A PJ confirmou na segunda-feira a detenção do homem, com antecedentes criminais, tido como alegado autor do incêndio que deflagrou nas serras de São Roque, no Funchal.

Nesse dia, o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, já tinha afirmado existirem indícios de que o incêndio tinha sido "fogo posto" e que essa possibilidade estava a ser averiguada pela Polícia Judiciária.

Hoje, na conferência de imprensa para fazer o balanço dos incêndios, Miguel Albuquerque anunciou existir um outro caso de duas pessoas que foram detidas em flagrante delito, tendo uma fonte da PJ confirmado à Lusa que foram identificadas numa operação desenvolvida pela Polícia de Segurança Pública, no concelho da Calheta.

A Madeira foi assolada por vários incêndios desde segunda-feira que provocaram três mortos no Funchal, centenas de residentes deslocados, dezenas de casas destruídas e avultados danos materiais.

Lusa

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06