sicnot

Perfil

País

Três homens escapam ilesos a cerco de chamas em Arcos de Valdevez

Três homens, habitantes da aldeia de São Jorge, Arcos de Valdevez, escaparam esta quarta-feira ilesos após terem ficado cercados pelo fogo durante mais de uma hora quando ajudavam a combater um incêndio que fustiga aquela região.

"Foi uma grande aflição. Estávamos rodeados de fogo por todo o lado. Não tivemos apoio nenhum e a única solução que tivemos foi atravessar uma coluna de fogo para sobrevivermos", relatou hoje à Lusa um dos homens da aldeia, Carlos Barros.

O incidente ocorreu junto à aldeia de São Jorge, "numa zona de mato alto e denso" nas proximidades da Capela dos Milagres, perto do Mezio, no Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG).

"Tememos pela vida porque as chamas eram enormes. Aquela zona é isolada, não há ninguém nas redondezas, podíamos gritar que ninguém nos ouvia", acrescentou.

Carlos Barros admitiu que ele e os colegas fizeram "um grande esforço para manter a calma e não entrar em pânico", realçando que apesar do "enorme susto" saíram ilesos da coluna de fogo que os encurralou durante mais de uma hora.

De acordo com a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 18:15, os incêndios que lavram em Travanca e Cabana Maior, área do PNPG estão a ser combatidos por 167 homens e 55 meios terrestres e quatro meios aéreos.

Lusa

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões destes animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.