sicnot

Perfil

País

Costa recusa "número mágico" sobre apoios à Madeira sem avaliação dos danos

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que "não era exigível nem compreensível" que o Governo chegasse à Madeira "com um número mágico" sobre os apoios à região depois dos incêndios sem que a avaliação dos danos esteja feita.

António Costa falava aos jornalistas no final de uma visita de quase seis horas à Madeira e, quando questionado sobre os valores em concreto que o Governo da República vai disponibilizar para o apoio à região, o primeiro-ministro foi perentório: "não era exigível nem compreensível que viéssemos aqui dar um número mágico, para o ar, sem que a avaliação tivesse sido feita".

"O trabalho está a ser programado, as coisas têm que ser feitas como devem ser feitas, que é avaliando os danos", justificou, explicando na terça-feira está já marcada uma reunião com representantes dos governos da República e Regional e que nos próximos 15 dias ficará concluído o levantamento dos danos.

No quartel dos Bombeiros Voluntários locais, onde terminou a sua visita à Madeira com um agradecimento a estes profissionais, o primeiro-ministro sintetizou as medidas principais que já tinham sido anunciadas após a reunião entre todas as autoridades.

"Nós iremos ter uma linha de crédito lançada já na próxima semana para o apoio às atividades turísticas, vamos ter uma linha de crédito para o conjunto de empresas que sofreram danos com estes incidentes, vamos apoiar financeiramente o programa que o Governo Regional aprovou de apoio temporário às famílias carenciadas, vamos apoiar financeiramente em particular o município do Funchal, que é aquele onde para já há habitações destruídas, na reabilitação e na reconstrução de acordo com os programas municipais", enumerou.

Na opinião de António Costa, "não é exigível, a quem passou aquilo que passou nos últimos dias, que houvesse uma conta feita", devendo o trabalho de avaliação dos prejuízos ser feito como está a ser, "com cabeça, tronco e membros".

"Quando? Quando o senhor presidente da câmara tiver a avaliação feita, tiver o número apurado, nós saberemos. Quando o senhor presidente do Governo Regional tiver os danos apurados e tiver o número apurado, nós cá estaremos", respondeu, perante a insistência dos jornalistas.

Na conferência de imprensa, o chefe do executivo tinha sublinhado que "ao longo dos últimos dias, as instituições da República, da região e dos municípios deram um bom exemplo de excelente articulação e funcionamento".

"Desde logo entre os órgãos de soberania, com acerto pleno entre o senhor Presidente da República e o Governo de qual era a natureza e a função de cada um no testemunho do apoio à Madeira", concretizou.

Para Costa, Marcelo Rebelo de Sousa trouxe à ilha uma mensagem de "solidariedade, de apoio, de carinho, de afeto às populações", enquanto "o Governo está cá hoje, conforme foi combinado com o senhor Presidente da República, para fazer a parte que lhe compete enquanto órgão executivo".

Na quarta-feira, o chefe de Estado tinha visitado a Madeira e afirmou que a missão do primeiro-ministro sobre os incêndios na Madeira "não é só de solidariedade, é executiva" e por isso António Costa iria estar na ilha hoje para falar sobre apoios.

Para além de visitar os locais mais afetados pelos incêndios dos últimos dias, António Costa manteve uma reunião com os principais responsáveis da região e concluiu esta jornada de trabalho de seis horas com uma passagem pelo regime de guarnição número três onde estão os desalojados, pelos quartéis de duas corporações de bombeiros e ainda um hotel na zona histórica, que teve que ser evacuado na noite de terça-feira, mas que já está em pleno funcionamento.

Lusa

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34