sicnot

Perfil

País

Governo da Madeira autoriza instituto da habitação a arrendar casas a privados

AP Images

O Governo da Madeira autorizou a Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM) a contratar com proprietários privados o arrendamento de casas destinadas a alojar as pessoas que ficaram com as suas habitações danificadas pelos incêndios.

Esta foi uma das deliberações da reunião extraordinária do Conselho do Governo, na quarta-feira, divulgada esta quinta-feira pela secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Rubina Leal.

"O plenário autorizou a IHM a negociar e contratar com proprietários privados o arrendamento de fogos, a dar prioridade a estas situações, sobretudo para recuperação no âmbito do Programa de Recuperação de Imóveis Degradados (Pride), e autorizou a proceder a realojamentos provisórios e urgentes através de arrendamento social", indicou a governante madeirense.

A responsável reafirmou que o executivo regional se comprometeu a apresentar o levantamento exaustivo das situações relacionadas com os incêndios dentro de duas semanas, tendo sido detetadas, numa avaliação provisória, que 150 habitações estão "sem condições de habitabilidade e outras tantas danificadas".

"Hoje vamos iniciar o realojamento das famílias", anunciou, sublinhando que o governo tem a consciência de que este número "poderá aumentar", tendo em conta os contactos mantidos com os presidente das várias juntas de freguesia e o facto de ainda não ter sido possível ter acesso a todos os locais afetados pelo fogo.

Rubina Leal apontou que das cerca de 1.000 pessoas que tiveram de ser realojadas temporariamente em centros de acolhimento, permanecem "mais de 300 distribuídas por vários espaços", entre os quais o Regimento de Guarnição N.º3, no Funchal.

Foram polos de atendimento para apoiar aqueles que estão a ser acolhidos por familiares e conhecidos.

A responsável também avançou que os utentes dos lares de idosos de Santa Isabel e Vale Formoso que foram retirados por precaução vão regressar àqueles espaços na sexta-feira, estando a decorrer as operações de limpeza das instalações.

A transferência dos doentes e utentes dos hospitais dos Marmeleiros e João de Almada, na freguesia do Monte, que foram evacuados, também está a ser preparada pelo Serviço Regional de Saúde da Madeira (Sesaram), indicou.

Falando sobre as formas de ajuda, Rubina Leal mencionou as contas solidárias entretanto abertas, cujas verbas irão para "reconstrução, manutenção e reconversão de equipamentos".

"Grande parte irá para uma conta do IHM", porque o executivo pretende "com toda a transparência mostrar à população e com relatórios específicos onde esses valores foram aplicados".

"Obviamente que o Governo Regional irá com certeza pedir os reforços necessário ao primeiro-ministro", declarou.

A governante apontou que os incêndios provocaram três vítimas mortais e dois feridos graves, havendo a registar esta quinta-feira "o caso de um bombeiro que ficou ferido na zona da Calheta".

A secretária regional apelou ainda aos moradores que não estejam nas casas afetadas para que tomem medidas de segurança para proteger a propriedade.

Os incêndios tiveram início na segunda-feira e esta quinta-feira à tarde persistiam ainda alguns focos na ilha.

Lusa

  • Pedrógão e o Governo das culpas dos outros

    Opinião

    Depois das revelações do ‘Expresso’ e do ‘i’, o primeiro-ministro e os ministros saíram à rua com uma estratégia muito bem definida: desmentir a existência de listas secretas e centrar as atenções no Ministério Público. Ao mesmo tempo, nas redes sociais, está em curso (mais) uma campanha contra os jornalistas. Os anónimos, com cartão de militante, que escrevem nessas páginas acusam os jornais das “mais rebuscadas teorias da conspiração”. Nada de novo portanto.

    Bernardo Ferrão

  • "Se alguém tem conhecimento de mais vítimas deve comunicar de imediato à PJ e ao MP"
    0:48
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34