sicnot

Perfil

País

"Meios aéreos não podem entrar em zonas habitacionais, explica secretário de Estado

"Meios aéreos não podem entrar em zonas habitacionais, explica secretário de Estado

Nos últimos dias, têm sido várias as populações das zonas afetadas pelos incêndios a queixarem-se da falta de meios aéreos. O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, diz perceber o desespero das pessoas mas explica que os meios aéreos não podem entrar em zonas habitacionais.

  • As ajudas no combate ao fogo na Madeira
    3:20

    País

    A ajuda que partiu do Continente e dos Açores durante a madrugada desta quarta-feira já chegou à Madeira. Na terça-feira, Miguel Albuquerque agradeceu a disponibilidade do Governo da República. O Governo Regional foi alvo de críticas, depois de Miguel Albuquerque dizer que a situação estava controlada e de "demorar demasiado tempo a pedir ajuda".

  • "Encontrei uma força de ânimo, uma determinação"
    1:30

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa confessou que ficou impressionado com a força e determinação das pessoas na visita à Madeira. O Presidente da República fez questão de se deslocar às zonas mais atingidas pelos fogos das últimas horas e garantiu que apoio não vai faltar. Marcelo promete voltar à Madeira dentro de 15 dias para ver os trabalhos de recuperação do incêndio.

  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.