sicnot

Perfil

País

Populações da Calheta podem ficar sem água potável dentro de 24 horas

Os incêndios na Calheta, na Ilha da Madeira, afetaram o abastecimento das estações de tratamento de água e, por isso, a autarquia apela à população para que a poupe, sob pena de poderem ficar sem água potável.

Os incêndios continuavam ativos esta noite na Calheta, mas já não existem habitações em risco, uma vez que o fogo está concentrado numa zona de vegetação, relatou à Lusa o presidente da Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, que agora está mais preocupado com a eventual falta de água potável no concelho.

"Por favor, as pessoas não gastem água mais do que a suficiente ou urgente, porque a água está a fazer-nos muita falta e, neste momento, a água potável não está a ser abastecida nas estações de tratamento", apelou o autarca, em declarações à Lusa.

Se a situação se mantiver por mais 24 horas "vamos ter problemas com o abastecimento de água potável", vaticinou Carlos Teles, acrescentando que os mais afetados serão as cerca de 1.500 pessoas que vivem nas freguesias de Prazeres e de Estreito da Calheta.

Às 22:00 de hoje, havia uma frente de incêndio na zona alta da freguesia dos Prazeres, "difícil de controlar", que estava a ser combatida por cerca de 150 homens, apoiados por 14 viaturas e um posto móvel da Proteção Civil.

"Temos muitos meios no terreno", disse Carlos Teles, acrescentando que estão também no local elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Cruz Vermelha, assim como cinco máquinas escavadoras que esta noite estão a limpar e a alargar alguns caminhos florestais de terra batida.

O autarca garantiu à Lusa que a limpeza dos caminhos florestais é realizada normalmente, mas "a rede de caminhos florestais é muito grande" e a "vegetação muito densa".

O trabalho de alargamento do caminho florestal que hoje está a ser feito "é uma situação de recurso, que alarga também o perímetro de segurança".

"Esta é uma luta inglória", desabafou o autarca, que tem esperança "que a noite ajude", já que as temperaturas estão a descer e a intensidade dos ventos está a diminuir.

Depois de esta semana ter aberto o Pavilhão Gimnodesportivo da Calheta para acolher desalojados e 52 turistas, o autarca já conseguiu fechar o pavilhão e resolver a situação de todas as pessoas -- os turistas foram transferidos para outras unidades hoteleiras.

Quanto aos prejuízos provocados pelos incêndios, Carlos Teles diz que esse é um trabalho que ainda levará alguns dias a estar concluído.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC