sicnot

Perfil

País

PJ deteve suspeio de atear fogos florestais na zona de Oliveria do Bairro

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro anunciou esta sexta-feira a detenção de um homem que terá ateado vários incêndios florestais na segunda quinzena de julho e nos primeiros dias de agosto, na localidade de Bustos, concelho de Oliveira do Bairro.

De acordo com um comunicado da PJ, a detenção foi efetuada na sequência do cumprimento de mandados de detenção e busca emitidos pelas autoridades judiciárias.

"Os focos de incêndio em causa têm ocorrido em zonas de pinhal e eucaliptal, tendo consumido já uma vasta área, pondo ainda em perigo as habitações existentes junto da mancha florestal", refere a PJ.

Durante a busca à residência do suspeito, em Vagos, foram apreendidos cerca de 30 metros de rastilho ou cordão lento, que pode ser utilizado para a fabricação de engenhos incendiários como meio de ignição ao retardador.

"Aquele material só serve para usar com explosivos ou para fazer um tipo de engenho incendiário, em que deixam aquilo a arder perto de uma garrafa com gasolina, por exemplo, e dá tempo para a pessoa fugir antes daquilo começar a arder tudo", explicou Rui Nunes, coordenador da PJ de Aveiro.

O detido, calceteiro de profissão, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

No corrente ano a PJ já identificou e deteve 30 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05