sicnot

Perfil

País

PSP apreende armas e munições em diligências de rescaldo no Funchal

A Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou hoje ter apreendido diversas armas e munições no âmbito de diligências efetuadas no rescaldo dos incêndios na Madeira, na casa de um cidadão falecido há 11 anos.

Em comunicado, a PSP comunica que a apreensão foi feita no Funchal, "no decurso das operações de socorro e auxílio às populações e na sequência de diligências efetuadas pelo Núcleo de Armas e Explosivos".

Este material estava depositado "ilicitamente na garagem de uma residência", por não estar registado, e "armazenado sem as mínimas condições de segurança e de acondicionamento".

Da lista do material apreendido constam três espingardas da classe D, duas armas da classe C (sendo uma de calibre 44 e a outra de calibre 22), outras duas armas de fogo obsoletas, um revólver de alarme, quatro 'boxers' (soqueiras), uma arma de fogo dissimulada em forma de caneta e três canos de armas de fogo longas.

A PSP aponta que também recolheu 35 quilos de munições da classe D de vários calibres e marcas, cinco quilos de fulminantes (cápsulas metálicas que encerram a escorva das armas de fogo), entre outros.

O concelho do Funchal foi o mais afetado pelos incêndios que esta semana atingiram a ilha da Madeira.

Neste município, o fogo deflagrou na segunda-feira em zona de serra e chegou a estar no centro da cidade.

Hoje, permanecia ativo um fogo de incêndio no concelho da Calheta.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.