sicnot

Perfil

País

Depois das chamas em Anadia, é hora de fazer contas

Depois das chamas em Anadia, é hora de fazer contas

O incêndio de Anadia deu finalmente tréguas aos bombeiros. As chamas que esta semana lavraram durante três dias e que alastraram a Mealhada e Mortágua, deixaram um rasto de destruição. Agora começam-se a fazer as primeiras contas aos prejuízos que ao que tudo indica poderão atingir as centenas de milhares de euros.

  • Chamas perto da povoação de Vale da Mó
    2:24

    País

    O incêndio em Anadia parecia estar controlado de manhã. Contudo, mais de 300 bombeiros e dois aviões continuam a combater as chamas em Anadia, num esforço sobre-humano. As chamas estão perto da povoação de Vale da Mó. A população tenta ajudar os bombeiros, que não conseguiram impedir a destruição de algumas casas na zona.

  • Mata do Buçaco chegou a estar em risco mas fogo passou ao lado
    4:25

    País

    A Mealhada vive hoje um dia mais tranquilo, mas nos últimos dias arderam no concelho mais de mais de 3 mil hectares de floresta. Há muitos anos que não se via um incêndio assim. A mata do Buçaco chegou a estar em risco. As chamas não chegaram lá, mas andaram à volta também com os fogos de Anadia e Mortágua.

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite