sicnot

Perfil

País

Marcelo envia mensagem de condolências ao presidente Suíço após ataque num comboio

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou este domingo uma mensagem de condolências ao Presidente suíço, Johann Schneider-Ammann, a propósito do ataque desencadeado por um homem num comboio, que fez um morto e cinco feridos, no sábado.

"Foi com enorme tristeza que tomei conhecimento do ataque que ocorreu ontem, num comboio perto do cantão suíço de Saint-Gall, que provocou uma vítima mortal e ferimentos em cinco pessoas", refere a mensagem que Marcelo Rebelo de Sousa enviou ao seu homólogo suiço.

A mensagem do chefe de Estado português diz ainda: "Neste momento difícil, quero transmitir-lhe, Senhor Presidente, em meu nome e em nome do povo português, toda a solidariedade para com o povo suíço, transmitir as sentidas condolências e desejar a rápida recuperação dos feridos".

Um homem, um cidadão suíço de 27 anos, incendiou no sábado uma carruagem de um comboio na Suíça, utilizando um líquido inflamável, e esfaqueou passageiros, ferindo seis pessoas, incluindo uma criança de seis anos. Uma das vítimas acabou por morrer hoje.

O homem que atacou também morreu hoje no hospital onde estava a ser tratado a queimaduras graves, anunciou a polícia.

A polícia continua a investigar este caso, excluindo, 'a priori', a pista terrorista.

"A questão do motivo permanece", afirmou a polícia de Saint Gallen, explicando que, "neste momento, não há qualquer indício que mostre que este ato é terrorista ou tenha uma motivação política".

Lusa

  • Ataque em comboio na Suíça faz seis feridos

    Mundo

    Um homem incendiou este sábado uma carruagem de um comboio na Suíça utilizando um líquido inflamável e também esfaqueou passageiros, ferindo seis pessoas, incluindo uma criança de seis anos, informou a polícia. O homem, um cidadão suíço de 27 anos, realizou o ataque num comboio que circulava no leste da Suíça, na fronteira com o Liechtenstein, e também ficou ferido, indicou num comunicado a polícia regional de St. Gallen.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite