sicnot

Perfil

País

Bombeiros da Madeira permanecem no rescaldo do fogo na Calheta

LUSA

Vinte e cinco bombeiros de quatro corporações da Madeira permancem hoje na zona da Fonte do Bispo, no concelho da Calheta, na situação de rescaldo e vigilância do incêndio que deflagrou naquela localidade da Madeira, na passada terça-feira.

Segundo a informação de hoje do Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira (SRPC), nesta ocorrência, na zona oeste da ilha, estão meios das corporações da Calheta, São Vicente e Porto Moniz, Ribeira Brava e Voluntários Madeirenses, apoiados por nove viaturas.

O documento da Proteção Civil refere a situação meteorológica da ilha da Madeira prevista para hoje, tendo as costas norte e sul da ilha sido colocadas pelo Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA) sob 'aviso amarelo' devido aos ventos.

O SRPC refere que hoje o céu estará geralmente muito nublado, apresentando-se pouco nublado nas vertentes sul da ilha da Madeira.

Quanto ao vento, as previsões apontam que será moderado (20 a 35 quilómetros/hora) do quadrante norte, soprando até meio da manhã, por vezes forte (35 a 45 quilómetros) nas zonas montanhosas e nos extremos oeste e leste da ilha da Madeira, com rajadas até 60 quilómetros.

Também indica que é expectável uma "pequena descida da temperatura máxima", que será 25/20 graus, enquanto que na ilha do Porto Santo os termómetros deverão registar 24/21 graus.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.