sicnot

Perfil

País

Prisão preventiva para jovem do Boom Festival que expeliu 45 "bolotas" de haxixe

O Tribunal de Idanha-a-Nova decretou esta terça-feira prisão preventiva ao jovem de 23 anos participante no Boom Festival que estava detido na GNR depois de ter expelido 45 "bolotas" de haxixe.

"O tribunal de Idanha-a-Nova decretou a prisão preventiva ao jovem, que deve agora ser conduzido para o estabelecimento prisional de Castelo Branco", disse à agência Lusa o tenente-coronel Fernando Miranda, da GNR.

Internado até segunda-feira no Hospital Amato Lusitano de Castelo Branco, onde expeliu as 45 "bolotas" de haxixe, o jovem, natural de Lisboa, ficou depois detido nas instalações da GNR de Castelo Branco e foi presente esta terça-feira ao tribunal de Idanha-a-Nova.

No domingo, duas pessoas que estavam no Boom Festival, em Idanha-a-Nova, entraram em paragem cardiorrespiratória e acabaram por morrer durante o transporte para o Hospital de Castelo Branco, desconhecendo-se até ao momento, as causas que estiveram na origem das duas mortes.

Os dois corpos estão no Gabinete Médico Legal de Castelo Branco para serem autopsiados.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".