sicnot

Perfil

País

Secretário de Estado diz que não houve falha no dispositivo de combate aos fogos

Jorge Gomes, secretário de Estado da Administração Interna.

LUSA

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse esta terça-feira que não houve qualquer falha no dispositivo de combate aos incêndios que atingiram o país nas últimas semanas, escasseando sim os meios necessários.

Em declarações aos jornalistas no final de uma reunião na Câmara de Baião, no distrito do Porto, com autoridades locais, Jorge Gomes declarou não ter havido "falhanço de forma nenhuma no dispositivo em tudo o que aconteceu" e, questionado sobre o caso de São Pedro do Sul, disse que o que "havia era inexistência de recursos e de meios suficientes para as necessidades que apareceram".

"Não podemos dizer que há uma falha porque todos queremos um avião em cima de nossa casa. Nós não temos aviões para ter em cima de casa de toda a gente. O dispositivo respondeu bem e tão bem respondeu que é aquele exemplo que lhe dei: se num dia temos 455 incêndios e conseguimos chegar à meia-noite com 10 isto é algo de excecional", afirmou Jorge Gomes.

O secretário de Estado acrescentou que "o que pode ter acontecido em São Pedro do Sul é uma questão que vai ser avaliada" e não se quis "dissipar em declarações ao inquérito que está a ser feito" e que vai analisar se "o senhor presidente da Câmara tem alguma razão para justificar as suas palavras ou se, eventualmente, não existe razão nenhuma".

Frisando que não houve nenhuma falha e que o Governo mantém a "máxima confiança no dispositivo", Jorge Gomes sublinhou que "há respostas que são impossíveis de dar": "Ninguém pode pensar que, num dia em que há 455 incêndios, há capacidade de resposta. Ninguém no mundo tem capacidade de resposta".

No sábado, Vítor Figueiredo, o presidente da Câmara de São Pedro do Sul, no distrito de Viseu, lamentou a falta de meios para combater as chamas, sublinhando que quando o incêndio deflagrou apenas puderam contar com "a prata da casa".

"O fogo já aqui anda desde segunda-feira (dia 8). Tínhamos uma frente quase com 16 quilómetros e apenas cerca de 30 ou 40 voluntários para combater todo este fogo. Nunca tivemos apoio das entidades oficiais. O fogo foi progredindo e atingimos um ponto em que a situação foi catastrófica", disse, na altura, o autarca.

Na sequência destas declarações, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou a abertura de um inquérito para apurar o que correu mal com o início do combate ao incêndio em São Pedro do Sul.

Lusa

  • António Costa quer Força Aérea no combate aos incêndios
    2:08

    País

    António Costa diz que o Governo vai apostar em mais formas de prevenção para evitar mais incêndios. Em visita à base de Monte Real, em Leiria, o primeiro-ministro admitiu que seria importante para o país ter a Força Aérea envolvida no combate aos fogos.António Costa diz ainda que o ministério da Defesa está a avaliar a aquisição de um novo KC390.

  • "Militares deviam estar já envolvidos no rescaldo"
    7:54

    País

    O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais critica a aparente falta de estratégia no combate aos fogos e chama a atenção para o cansaço. Alguns homens estão há "dezenas de horas" numa verdadeira guerra contra as chamas.

  • O dia em que Marcelo apitou um jogo de futebol

    País

    Habituado a ajuizar os momentos de tensão entre Governo e oposição, Marcelo Rebelo de Sousa foi esta quarta-feira árbitro, literalmente. Tudo aconteceu num jogo de futebol entre crianças, durante a visita do Presidente da República a São Tomé e Príncipe.

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Débito direto: não deixe que lhe tirem centenas de euros da conta
    7:11
  • Mais de 300 mortos em bombardeamentos de Bashar a Ghouta
    3:08

    Mundo

    Nos últimos três dias morreram mais de 300 civis, incluindo crianças, em Ghouta Oriental, na Síria. Alemanha e França exigem uma trégua imediata para que sejam retirados os civis, e António Guterres pede um cessar fogo de um mês. Alertamos para a violência de algumas imagens.

  • Imprensa espanhola considera Rúben Semedo a pior contratação de sempre do Villarreal
    3:35

    Desporto

    Rúben Semedo vai esta quinta-feira ser ouvido por um juiz de instrução, que vai ditar as medidas de coação no caso em que o jogador é suspeito de roubo, agressões e posse ilegal de arma. O defesa português do Villarreal passa mais uma noite nas instalações da Guardia Civil, em Valência. Alguns media espanhóis chamam-lhe agora a pior contratação de sempre da história do clube.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Novos protestos na Florida contra a lei das armas
    2:12
  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.