sicnot

Perfil

País

Prejuízos de 61 milhões no Funchal

A Câmara do Funchal estimou em 61 milhões de euros os prejuízos provocados pelos incêndios da semana passada em prédios e infraestruturas do concelho, indica um relatório municipal esta quarta-feira divulgado.

O relatório do levantamento de danos provocados pelos fogos no conjunto edificado privado e público e nas infraestruturas públicas do município do Funchal refere que 300 edifícios foram afetados - 177 ficaram totalmente destruídos e 123 parcialmente, em oito das dez freguesias que integram o concelho (apenas São Martinho e Sé não sofreram ocorrências).

A Câmara Municipal detetou, por outro lado, que 861 moradores foram afetados pelos fogos no concelho, 531 das quais estão desalojados, tendo em conta os edifícios totalmente destruídos.

A autarquia estima em 35.766 milhões de euros os custos de construção a afetar a todo o conjunto edificado atingido.

Ao nível das infraestruturas municipais, a Câmara Municipal do Funchal, liderada pela coligação Mudança (PS, BE, PTP, MPT e PAN), estimou que sejam necessários para a sua recuperação 25.320 milhões de euros.

Em termos de edifícios, as freguesias mais afetadas foram Monte (82), Santa Luzia (77) e São Roque (49). Foi nesta freguesia, nas zonas altas do concelho, que o incêndio começou, por volta das 15:00 do dia 08 de agosto.

Segundo o relatório municipal, os incêndios tiveram a sua origem no sítio da Alegria, propagando-se depois pelas zonas altas das freguesias de Santo António, Monte, Santa Maria Maior e São Gonçalo.

Entre as estruturas da autarquia atingidas pelos fogos, conta-se o Parque Ecológico do Funchal, com uma área total de 718 hectares, tendo sido afetado em cerca de 60% (430 hectares).

O relatório destaca ainda a necessidade de intervir ao nível das redes de água e de várias estradas, escarpas e veredas municipais.

Quanto à frota afeta ao Serviço Municipal de Proteção Civil, a autarquia constatou a necessidade de uma "manutenção extraordinária" e "recuperação do parque de viaturas", assim como da reposição dos equipamentos de combate aos incêndios e dos materiais de primeiro socorro.

O documento evidencia que os incêndios decorridos afetaram também as zonas urbanas centrais da cidade, incidindo nas freguesias de São Pedro, Santa Luzia e Imaculado Coração de Maria, inclusive no núcleo histórico da cidade (freguesia de São Pedro).

"Nesta sequência e atendendo à grandeza do evento, foi acionado no dia 09 [de agosto], pela manhã, o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Funchal e desativado no dia 16 de agosto", lê-se no relatório.

A Câmara do Funchal destaca, por outro lado, que a orografia acidentada do município, as temperaturas excecionalmente elevadas (atingindo 38 graus), os níveis de humidade muito baixos (abaixo dos 30 graus) e os ventos muito fortes (com rajadas que atingiram 80 quilómetros/hora) resultaram em "condições ótimas à propagação descontrolada dos fogos", quer florestais, quer urbanos.

"Importa referir que o estado de alguns terrenos nas zonas periurbanas e urbanas, situação que o município tem vindo a contrariar, notificando os proprietários no sentido da sua limpeza, foi outro dos fatores que muito contribuíram para a situação grave de incêndios vivenciada nos últimos dias", salienta.

A autarquia identifica dois "grandes fatores" que motivaram o deflagrar dos focos de incêndio nas zonas urbanas, nomeadamente a antiguidade das edificações e estado de ocupação devoluto e a localização abrangente dos edifícios em zonas de taludes ameaçadas por um elevado grau de perigosidade de incêndio.

"Nas áreas florestais os motivos associados identificam-se essencialmente com a limpeza das florestas e predominância de um coberto vegetal facilmente inflamável", refere o documento.

Devido a estes fogos, morreram no concelho três pessoas.

Lusa

  • Portugal inicia preparação para o Mundial sem Cristiano Ronaldo

    Rumo ao Mundial 2018

    A seleção portuguesa de futebol começa hoje a preparar a participação no Mundial2018, que arranca em 14 de junho, na Rússia, com um treino na Cidade do Futebol, em Oeiras, numa sessão em que são esperadas algumas ausências. O capitão Cristiano Ronaldo, que vai disputar no sábado a final da Liga dos Campeões com o Real Madrid, é baixa certa no arranque dos trabalhos, mas não deve ser o único.

  • Hoje é notícia

    País

    Esta terça-feira realiza-se o funeral do antigo ministro António Arnaut na Figueira da Foz. Em Sintra está previsto o início do julgamento dos 17 agentes da PSP acusados de agredirem jovens da Cova da Moura, concelho da Amadora, no interior da esquadra de Alfragide. Em Oeiras, a seleção portuguesa de futebol começa hoje a preparar a participação no Mundial2018.

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20