sicnot

Perfil

País

Greve de enfermeiros na Guarda

(arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

Na Guarda os enfermeiros cumprem 3 dias de greve e esta manhã concentraram-se junto à sede da unidade local de saúde em defesa das 35 horas semanais. O protesto serviu também para chamar a atenção para a falta de enfermeiros na instituição mas a adesão ficou aquém das expectativas.

O sindicato justifica a fraca participação com o facto de muitos dos enfermeiros estarem de férias e outros a prestar os serviços mínimos exigidos por lei.

Na acção de protesto são exigidas as 35 horas semanais para todos os enfermeiros independentemente do vinculo contratual.

Diz o sindicato que na unidade local de saúde da Guarda os profissionais chegam a ter uma carga horária acrescida de 50 a mais 100 horas semanais sem qualquer compensação financeira extra, muito por causa da grave carência de enfermeiros na instituição.

A situação põe a causa a qualidade dos cuidados de enfermagem denuncia o sindicato que aponta a cardiologia, pneumologia e especialidades cirúrgicas como alguns dos serviços mais afectados.

Para colmatar as falhas seria necessária a contratação de mais 138 enfermeiros na ULS da Guarda.

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.