sicnot

Perfil

País

Sentença do condutor de carrinha com pneu rebentado decorre segunda-feira

O Tribunal de Ponte de Sor marcou para segunda-feira a leitura da sentença do automobilista acusado do crime de fogo posto em Ponte de Sor e Alter do Chão, Portalegre, disse esta quinta-feira à agência Lusa fonte judicial.

O homem de 60 anos, que foi hoje julgado em processo sumário naquele tribunal do Alto Alentejo, é ainda acusado pelo Ministério Público pelo crime de condução sob o efeito do álcool.

Durante a sessão foram ouvidas nove testemunhas, quatro militares da GNR, três pessoas que presenciaram os factos e mais duas testemunhas arroladas pela defesa, tendo o tribunal decidido que a leitura da sentença será proferida pelas 14:30 de segunda-feira.

Fonte da GNR disse à Lusa no passado dia 09, data dos acontecimentos, que o automobilista foi detido pela guarda quando conduzia alcoolizado uma carrinha de caixa aberta, com o pneu dianteiro direito rebentado e com a jante, quase derretida, em contacto com o asfalto.

Esse contacto terá provocado faíscas que, projetadas para a berma da estrada, ao longo de cerca de 20 quilómetros, originaram perto de 30 pequenos focos de incêndio.

Na altura dos acontecimentos, a mesma fonte disse que existiam indícios de que o fogo de grandes dimensões que deflagrou nesse dia em Ponte de Sor e se propagou para o concelho vizinho de Alter do Chão teve origem no reacendimento de um dos focos de incêndio.

Segundo a GNR, a carrinha foi intercetada pela guarda, alertada por outros condutores para a situação, quando circulava na Estrada Nacional (EN) 119, no sentido Ponte de Sor-Alter do Chão, entre Vale de Açor e o cruzamento para Chança, zona onde deflagrou nesse dia um incêndio.

Fiscalizado pela GNR, o condutor, que reside na zona da Grande Lisboa e se deslocou ao Alentejo em lazer, foi submetido ao teste de alcoolemia, acusando uma taxa de álcool no sangue de 2,3 gramas por litro, enquadrada legalmente como crime.

Durante as operações de combate às chamas, um bombeiro recebeu assistência devido a intoxicação, por inalação de fumo, e foram cortadas temporariamente as estradas nacionais 119 e 537, indicou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre.

O combate ao fogo, que deflagrou na zona de Vale de Açor, concelho de Ponte de Sor, na zona limítrofe com o município vizinho de Alter do Chão, mobilizou um total de 155 operacionais, com o apoio de 52 viaturas e um helicóptero.

Segundo os bombeiros, o incêndio, que chegou a ter duas frentes ativas, destruiu uma área agroflorestal, com olival, pasto, vinhas e montado, ainda por calcular.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51