sicnot

Perfil

País

Casos de gastroenterite no Paredes de Coura aumentam para mais de 100

O número de pessoas com sintomas gastrointestinais no festival Paredes de Coura elevou-se para 130 a 150, mas não há "nenhuma situação com gravidade e regista-se a tendência para estabilização", disse este sábado fonte oficial.

"Até ao momento (21:00 deste sábado) temos documentados entre 130 a 150 casos nos nossos serviços de urgência", disse Rui Escaleira, diretor da unidade local de Saúde do Alto Minho, informando, no entanto, que "não há nenhuma situação com gravidade" registada até ao momento e que durante o dia a frequência de admissões tem vindo a "diminuir significativamente".

Segundo o médico, foi a partir das 21:00 de sexta-feira que se começou a verificar uma "afluência significativa de doentes" na área de Paredes de Coura, que apresentavam "queixas gastrointestinais, nomeadamente náuseas, vómitos, fezes líquidas (diarreia), alguns com sinais de desidratação e alguns com febre".

"O pico de admissão ocorreu durante a madrugada, e entre noite e madrugada observamos na nossa instituição cerca de 80 doentes com estas queixas, mas este número é aproximado, porque há muitas manifestações que são causadas por situações distintas e que podem ser similares", explicou Rui Escaleira.

A maioria dos doentes já teve alta, após medidas terapêuticas, como hidratação ou controlo da temperatura corporal, tendo alguns sido medicados e orientados, acrescentou.

Desde o início, atendendo à anormalidade da situação, foram reforçadas as equipas com mais profissionais, designadamente de Saúde Pública, que se deslocaram ao local para fazer o estudo necessário, no sentido de iniciar as medidas preventivas e tentar determinar a origem do surto das queixas gastrointestinais.

A organização do festival Paredes de Coura anunciou, em comunicado de imprensa, que está em articulação permanente "com as entidades responsáveis para garantir toda a assistência a quem dela necessite e apurar, se possível, a causa".

A Lusa falou com alguns campistas do festival que confirmaram que a água tinha sido cortada como medida preventiva por causa dos casos verificados de vómitos e indisposição. O reabastecimento de água no campismo do Paredes de Coura foi restabelecido pelas 18:00, adiantou fonte da organização.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.