sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

o IPMA prevê no continente uma pequena descida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro, céu pouco nublado ou limpo.

o vento será fraco a moderado (10 a 25 quilómetros/hora -- km/h) predominando de noroeste, tornando-se moderado a forte (30 a 40 km/h) a partir do início da tarde no litoral oeste, em especial a sul do Cabo Carvoeiro, por vezes com rajadas até 60 km/h.

Segundo o IPMA, nas terras altas o vento soprará moderado a forte (25 a 40 km/h) do quadrante norte. Prevê-se neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais.

No arquipélago da Madeira, o IPMA prevê períodos de céu muito nublado e a possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco nas vertentes norte e terras altas.

O vento será em geral fraco (inferior a 20 km/h) do quadrante norte, rodando para nordeste durante a manhã e tornando-se moderado (20 a 35 km/h) durante a tarde.

Já nos Açores, o grupo ocidental (Flores e Corvo) terá céu geralmente pouco nublado, possibilidade de aguaceiros fracos e vento sul moderado (20/30 km/h), rodando para sudoeste.

No grupo central (Graciosa, Faial, Pico, Terceira e São Jorge) prevê-se céu com boas abertas, tornando-se encoberto a partir da tarde. Períodos de chuva fraca, mais frequentes a partir da tarde e vento sueste bonançoso (10/20 km/h), rodando para sudoeste, constam também da previsão.

No grupo oriental (São Miguel e Santa Maria) espera-se céu com boas abertas, aguaceiros fracos e vento sueste fraco a bonançoso (05/20 km/h), rodando para sudoeste, indicou o IPMA.

No continente prevê-se que a temperatura máxima atinja os 33 graus Celsius em Faro, 31 em Beja, 31 em Évora, 26 em Lisboa, 28 em Santarém, 31 em Castelo Branco, 29 em Portalegre, 28 em Bragança, 25 em Coimbra, 23 em Viana do Castelo e 23 no Porto.

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),