sicnot

Perfil

País

GNR resgata família no Parque Nacional da Peneda-Gerês

A GNR de Braga resgatou no domingo uma família constituída por dois adultos e duas crianças que estavam dados como desaparecidos no Parque Nacional da Peneda-Gerês, informou esta segunda-feira aquela força militar.

Em comunicado enviado à Lusa, a GNR adianta que os militares da 4.ª Companhia de Intervenção de Proteção e Socorro de Braga do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) "conseguiram contactar por telefone uma das vítimas", o que facilitou o resgate.

Segundo os militares, as vítimas, entre as quais duas crianças de 11 e 13 anos, que tinham sido dadas como desaparecidas pelas 17:30, apresentavam "sinais de desidratação e de preocupação por se aproximar o início da noite", tendo uma delas "sofrido uma entorse num pé".

"Com base na informação recebida, os militares realizaram deslocamento apeado, tendo encontrado todos os elementos da família pelas 19:00", lê-se no comunicado.

As quatro pessoas, após prestação de primeiros socorros, foram transportadas pela GNR até à sua viatura.

Lusa

  • Costa reúne-se hoje com o Presidente de Angola em Davos

    Mundo

    O primeiro-ministro reúne-se esta noite com o chefe de Estado de Angola, logo após chegar a Davos, na Suíça). O encontro acontece num momento em que o processo da justiça portuguesa contra o ex-vice-presidente angolano, Manuel Vicente, afeta as relações entre os dois países.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • "Shutdown" nos EUA chegou ao fim
    1:05
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.