sicnot

Perfil

País

Portugal condena ataque na Turquia

O governo português "condena firmemente" o atentado ocorrido esta sexta-feira em Cizre, no sudeste da Turquia, que deixou 11 polícias mortos e dezenas de outros feridos, segundo um comunicado da diplomacia portuguesa.

"O governo português condena firmemente o atentado terrorista ocorrido hoje (...) na cidade de Cizre, e expressa a sua profunda solidariedade para com o povo turco e as suas sentidas condolências às famílias das vítimas", referiu um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros português enviado às redações.

Na mesma nota, o executivo português reitera uma "firme condenação do terrorismo sob todas as suas formas", bem como o seu empenho "na prossecução de ações coletivas de prevenção e repressão de atos terroristas".

O atentado suicida em Cizre foi reivindicado pelo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), movimento dos rebeldes separatistas curdos que o governo de Ancara qualifica como uma organização terrorista.

Um automóvel armadilhado explodiu hoje às 06:40 locais (04:40 em Lisboa) junto a um posto de controlo a 50 metros de uma esquadra policial em Cizre, na província de Sirnak, que faz fronteira com a Síria e o Iraque.

Após a explosão, registou-se uma troca de tiros entre atacantes e forças de segurança.

Onze polícias morreram e 75 ficaram feridos, além de três civis que também sofreram ferimentos.

As forças de segurança turcas são um alvo quase diário do PKK desde que as conversações de paz com o governo fracassaram, em julho de 2015.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.