sicnot

Perfil

País

Dois incêndios lavram no concelho de Vila Verde

Mais de 200 bombeiros estão a combater dois incêndios no concelho de Vila Verde, distrito de Braga, que lavram desde a tarde de segunda-feira, de acordo com a informação disponibilizada pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

De acordo com a informação da ANPC, cerca das 07:30, 148 bombeiros combatiam o fogo na localidade de Mós, freguesia de Esqueiros, Nevogilde e Travassós, concelho de Vila Verde.

O incendio que teve início terça-feira pelas 15:47 numa zona de mato tem atualmente uma frente ativa, estando os bombeiros a ser ajudados por 47 meios terrestres. Na terça-feira o fogo chegou a ter seis frentes ativas.

No mesmo concelho de Vila Verde, mas na freguesia de Aboim da Nóbrega e Gondomar, na localidade de Gondomar, deflagrou, também na terça-feira pelas 16:20, um outro incêndio, que está a ser combatido atualmente por 73 bombeiros e 24 meios terrestres.

Os dois incêndios em Vila Verde são os únicos que surgem no 'site' da ANPC como "ocorrências importantes", o que representa que são fogos de grandes dimensões, com duração superior a três horas e com mais de 15 meios de proteção e socorro envolvidos, mas apenas contemplam os incidentes do continente, já que as regiões autónomas têm serviços próprios nesta área.

Lusa

  • Número de mortos nos incêndios sobe para 44

    País

    Os incêndios florestais que deflagraram no domingo em várias zonas do país provocaram 44 mortos, disse esta sexta-feira a adjunta do comando nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC

  • Aberta nova frente de guerra no Iraque
    1:20

    Mundo

    Uma nova frente de guerra no Iraque está aberta. O exército de Bagdade combate as forças curdas e luta pelo controlo da província petrolífera de Kirkuk. Na origem da ofensiva está o referendo não reconhecido à independência do Curdistão.