sicnot

Perfil

País

CGTP exige aumentos de salários e pensões e combate à despesa com "lobbies"

O secretário-geral da CGTP-IN defendeu esta quinta-feira que o Orçamento para 2017 "é o momento certo" para se aumentarem os salários e as pensões, e defendeu como alternativa o corte em despesas "supérfluas" que beneficiam "lobbies instalados".

Arménio Carlos falava à agência Lusa após ter estado reunido com o primeiro-ministro, António Costa, em São Bento, encontro que durou mais de uma hora e em que também esteve presente o líder da CGT (Confederação Geral do Trabalho) de França, Philippe Martinez.

O secretário-geral da CGTP-IN defendeu que em Portugal, na França ou na Europa em geral "é preciso apostar em novas políticas para responder ao conjunto de problemas que se colocam aos trabalhadores e populações".

"Ao nível da reposição de salários e de direitos, chegou agora o momento de demonstrar à União Europeia que as políticas de empobrecimento não são uma inevitabilidade e, simultaneamente, mostrar que temos de passar à segunda fase. A segunda fase é a melhoria dos salários e dos direitos, já que não podemos aceitar que Portugal tenha em 2015 cerca de 42 por cento dos trabalhadores no ativo com salários base inferiores a 600 euros", declarou o secretário-geral da CGTP-IN.

Arménio Carlos criticou depois os elevados níveis de precariedade laboral registados pelo país, assim como a existência de "cerca de 11 por cento de trabalhadores dentro do nível de pobreza".

"Quase 41 por cento dos desempregados já não conseguem sair do limbo da pobreza. São estas questões de fundo objetivas e concretas que nos levam a defender que este é o momento certo para se tomarem medidas do ponto de vista orçamental em matéria de pensões e de salários, mas também ao nível do reforço da intervenção das políticas públicas em áreas como o Serviço Nacional de Saúde, na Segurança Social e na educação", sustentou.

Questionado sobre a oposição de Bruxelas a políticas de aumento da despesa pública, o secretário-geral da CGTP-IN disse que a sua organização está de acordo com a racionalização e corte de alguma despesa pública.

"A despesa pública não pode ser vista por via do aumento dos salários. No dia que aceitarmos que os salários não podem subir porque as entidades patronais não querem, então, voltamos à conceção anterior. Qualquer dia até temos de pagar para trabalhar", comentou.

Arménio Carlos defendeu a melhoria salarial como "um instrumento de motivação" e, no âmbito do processo de preparação do Orçamento para o próximo ano, disse identificar "despesa supérflua que tem de ser cortada, a começar pelas PPP (Parcerias Público Privadas".

"O rendimento médio das PPP para os acionistas privados ronda os 8,3 por cento ao ano. Ninguém paga juros desta natureza a não ser em Portugal", referiu.

O secretário-geral da GCTP-IN apontou ainda gastos resultantes da entrega de serviços públicos a empresas privadas, "com despesa para o Estado na ordem dos milhares de milhões de euros e em relação a atividades que podiam ser exercidas por trabalhadores da administração pública".

"Podia estar aqui mais cinco minutos a dar outros exemplos de cortes. Se for cortada a despesa supérflua, há condições para se melhorarem os serviços públicos e para se melhorarem as carreiras e os salários. Esta é a saída mais difícil, mas é preciso confrontar os 'lobbies' instalados", acrescentou.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59