sicnot

Perfil

País

Famalicão avalia segurança de edifícios contíguos ao que ruiu

O vice-presidente da Câmara de Famalicão e vereador da Proteção Civil, Ricardo Mendes, adiantou que a rua onde ocorreu esta sexta-feira o desabamento do prédio ficará encerrada por tempo indeterminado e que vai ser avaliada a segurança de edifícios contíguos.

"Neste momento, a câmara contratou uma empresa externa para fazer a vistoria aos edifícios contíguos para verificar se existe alguma perigosidade", disse o responsável à agência Lusa.

O desabamento de um prédio ocorrido hoje à tarde, em Famalicão, provocou seis feridos ligeiros.

Segundo o autarca, o desabamento do prédio foi provocado pelo desmoronamento da parede lateral em madeira e estuque de uma farmácia lá existente, causando ferimentos a seis pessoas, quatro funcionários da farmácia e dois clientes, todos retirados do local pelos bombeiros.

Do prédio sobrou apenas a fachada frontal que será demolida por poder representar perigo para a população, frisou o vice-presidente.

Ricardo Mendes salientou que a Câmara de Famalicão propôs à família residente junto ao edifício que ruiu que abandonasse a casa, a fim de ser realojada. A proposta, disse, foi feita apesar de esta habitação não ter sofrido danos, por questões de segurança e enquanto decorre a vistoria.

Junto ao prédio que ruiu decorriam, trabalhos de construção de um novo edifício, com licenças em dias, alvará de construção e planos de segurança, frisou Ricardo Mendes.

"Um dos trabalhadores estaria a operar com uma máquina e os outros a fazer trabalhos de terra, mas nenhum ficou ferido", afirmou.

Um dos funcionários da farmácia, que existia há mais de 40 anos, Miguel Araújo, e que estava no seu interior no momento da derrocada, contou à Lusa ter sentido um "grande susto".

"Ouvimos um grande estrondo como se fosse uma grande trovoada e sentimos tudo a abanar, tendo tipo apenas tempo para fugir para as traseiras da farmácia e ficamos a ver tudo a cair", explicou.

E acrescentou: "depois saímos com a ajuda dos bombeiros pelo edifício vizinho".

No local, os carros estacionados junto ao local do incidente estão cobertos de poeira e as pessoas falam em "susto enorme".

Lusa

  • Cerca de 100 mortos e dezenas de desaparecidos após sismo na Indonésia
    1:24
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Com este vamos arrancar-lhe uma lagriminha!

    Mundo

    Nesta redação, não se vive só de notícias. Também gostamos de nos emocionar com o mundo virtual. Imbuídos pela quadra natalícia, decidimos partilhar este vídeo polaco consigo. O que é preciso para o emocionar? Um tema com uma mensagem simples e que nos faça lembrar que somos todos feitos de carne e osso. Um toque de humor. Um sentimento sazonal, mas nunca em excesso. Um cão [é preciso haver sempre um cão]. Um enredo e algum suspense que nos prenda ao écran. Algo que nos faça engolir em seco. Foi isto que fez um site de vendas online com um anúncio com o título: "Inglês para principiantes". Então? Atingimos o nosso objetivo? Com ou sem lágrima?

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.