sicnot

Perfil

País

Fenprof leva hoje ao Governo reivindicações para o novo ano letivo

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) entrega hoje, ao governo, um abaixo-assinado e uma carta reivindicativa para o 1.º Ciclo, pedindo a redução de horário dos docentes para 22 horas letivas e a extinção do atual modelo de AEC.

"Atualmente são 25 horas, com o intervalo, o que na prática dá 27,5 horas, uma imposição ilegal do anterior governo", disse à agência Lusa o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, após a conferência de imprensa que marcou o arranque do ano escolar dos professores.

A carta será entregue durante uma reunião no Ministério da Educação com o secretário de Estado João Costa e nela se pede também a redução das turmas para 19 alunos, ou 12, no caso de haver crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE).

Quando as turmas incluírem vários anos de escolaridade, o objetivo da Fenprof é que tenham, no máximo, 15 alunos.

Os sindicatos da Fenprof querem ainda extinguir o atual modelo de Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), defendendo a ocupação de tempos livres em horário pós-letivo.

A carta contém igualmente uma proposta para a criação de uma bolsa de substituição de professores em faltas de curta duração.

No âmbito da gestão escolar, a Fenprof sugere a criação de órgãos colegiais, eleitos por professores e outros trabalhadores e representantes dos pais. Esta proposta é extensiva ao ensino secundário, em que se incluem representantes dos alunos.

"É tempo de avançarmos para a gestão democrática das escolas", disse Mário Nogueira durante a conferência de imprensa, em Lisboa.

O abaixo-assinado a exigir respeito pelo 1.º Ciclo reuniu mais de 5.000 assinaturas, em período de férias, frisou o dirigente sindical.

A Fenprof tenciona apresentar ainda questões relacionadas com o regime de concursos à secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, segundo a informação hoje avançada pelo líder da Fenprof.

Numa atualização dos números sobre o último concurso, cujos resultados foram conhecidos esta semana, a Fenprof estimou que sejam ainda colocados nas escolas cerca de 3.000 professores, para colmatar necessidades de última hora, mas que até ao final do ano entre 18.000 a 20.000 docentes não consigam trabalho.

Para o ano letivo prestes a iniciar-se, a Fenprof espera que o governo passe "dos sinais promissores às políticas de fundo".

A estrutura sindical pretende ver negociada a aposentação antecipada dos professores, sem penalizações, assim como medidas para acabar com os mega-agrupamentos de escolas e com o processo de municipalização iniciado pelo governo de coligação PSD-CDS.

Lusa

  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Número de vítimas mortais dos incêndios sobe para 45

    País

    Uma pessoa que estava internada no Hospital da Prelada, Porto, na sequência dos incêndios do dia 15 nas regiões Centro e Norte, morreu hoje, anunciou a unidade hospitalar, subindo assim para 45 o número de vítimas mortais daqueles fogos.

    Última Hora

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • O preconceito em relação aos transexuais
    34:09
  • Achado inédito encontrado na nau de Vasco da Gama naufragada em Omã

    Mundo

    Uma equipa de investigadores afirma ter encontrado, ao largo da costa de Omã, o mais antigo instrumento de navegação alguma vez descoberto. O achado arqueológico é um astrolábio e terá sido localizado no meio do que resta da nau Esmeralda, da frota de Vasco da Gama, naufragada no Oceano Índico em 1503.

    SIC

  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.