sicnot

Perfil

País

Incêndio obriga a evacuação de aldeia em Leiria

O incêndio que deflagrou esta segunda-feira à tarde na freguesia de Colmeias obrigou à evacuação da aldeia de Fonte Fria, na freguesia de Caranguejeira, no concelho de Leiria, pelas 20:20, informou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro à Lusa.

Segundo o CDOS, o fogo continua ativo e a progredir para a povoação de Fonte Fria, pelo que "já foi pedido às autoridades para evacuarem a aldeia e os seus habitantes".

Às 20:20, estavam no local 215 elementos, apoiados por 63 viaturas, de várias corporações de Leiria, Castelo Branco, Santarém e Portalegre, acrescentou o CDOS.

A página da Proteção Civil refere que o incêndio deflagrou pelas 16:45 e chegou a mobilizar três meio aéreos, que abandonaram o combate com o cair da noite.

O presidente da União de Freguesias de Colmeias e Memória, Artur Santos, já tinha dito esta tarde à agência Lusa, que a situação estava "descontrolada" e a colocar "casas e pecuárias em risco" na sua freguesia.

O autarca referiu ainda que o incêndio surgiu numa zona de mato, mas dirigiu-se em "direção à Caranguejeira", atravessando zonas onde "existem casas e algumas pecuárias", estando neste momento em povoamento florestal.

Entretanto, a página da Proteção Civil na internet informa que no distrito de Leiria existe outro fogo ativo, na Quinta da Gramela, no concelho de Pombal.

O incêndio deflagrou pelas 19:34 em zona de mato e estão no local 63 operacionais e 19 meios terrestres, lê-se no mesmo 'site'.

Com Lusa

  • Fogo ameaça casas e pecuárias em Leiria

    País

    Um incêndio que deflagrou esta segunda-feira à tarde em Colmeias, no concelho de Leiria, está "descontrolado" e a colocar "casas e pecuárias em risco", disse o presidente da União de Freguesias de Colmeias e Memória à agência Lusa.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite