sicnot

Perfil

País

Passadiços do Paiva vencem Óscar do Turismo como projeto mais inovador da Europa

Os Passadiços do Paiva foram esta noite um dos premiados da edição de 2016 dos World Travel Awards, que, considerados os Óscares do Turismo a nível mundial, distinguiram o projeto de Arouca como o mais inovador da Europa.

Inaugurado em junho de 2015, esse percurso pedonal estende-se por oito quilómetros ao longo das margens do Rio Paiva, veio permitir a visita a áreas de escarpa antes intocadas pela presença humana e venceu esta noite na Sardenha, em Itália, a categoria de Projeto de Desenvolvimento Turístico Líder na Europa.

Para Margarida Belém, que é vice-presidente da Câmara Municipal de Arouca, tutela a área do Turismo e assume também a supervisão do património geológico local classificado pela UNESCO, a distinção de hoje é assim "o corolário de uma estratégia bem sustentada, em que a autarquia e o Geopark tiveram a coragem de apostar".

A autarca defende que os Passadiços do Paiva deram a conhecer ao público "um recurso até há pouco tempo inacessível e passaram a assumir-se como o polo aglutinador de uma oferta turística de relevância mundial, ligada aos recursos naturais".

Em declarações à Lusa, acrescenta: "Este prémio é um reconhecimento mundial pelo trabalho que diariamente desenvolvemos no terreno - um trabalho coletivo que é do Município de Arouca, do Arouca Geopark e também de todos os 'players' turísticos locais".

A atribuição dos World Travel Awards foi instituída em 1993 e propõe-se distinguir os melhores projetos mundiais no âmbito do Turismo, conferindo aos premiados um selo de qualidade que tem como objetivo elevar os standards do setor.

A lista de candidatos à 23.ª edição da iniciativa incluía centenas de candidatos distribuídos por diferentes categorias de competição: Tecnologias de Viagem, África, Ásia, Australásia, América Central, América do Norte, América do Sul, Caraíbas, Europa, Médio Oriente e Oceano Índico. Dentro de cada uma dessas modalidades, houve ainda disputa entre áreas de atividade específica como as relativas a companhias aéreas, revistas de bordo, destinos de praia, hotéis de design, espaços de conferências, etc..

A escolha dos premiados resultou, por sua vez, da votação online que decorreu entre 7 de março e 17 de julho, envolvendo público em geral e profissionais do setor.

Na categoria de Projeto de Desenvolvimento Turístico Líder na Europa, os Passadiços do Paiva competiam com o resort de luxo sustentável "Costa Navarino", na Grécia, e com o Teh20 - Trail de Bydgoszcz de Água, Indústria e Artesanato, na Polónia.

"O prémio que recebemos representa uma responsabilidade acrescida, obrigando a que continuemos com esta dinâmica de dar a conhecer os nossos recursos naturais", afirma Margarida Belém. "É também a motivação para continuarmos a trabalhar sempre mais e melhor, educando para preservar", observa.

Quanto ao facto de os Passadiços já duas vezes terem sido parcialmente destruídos por incêndios desde a sua abertura em 2015, a autarca admite que essa é uma questão sensível num território essencialmente florestal. A ocorrência mais recente verificou-se em agosto deste ano, quando o incêndio local que chegou a ser combatido por mais de 900 bombeiros fez arder cerca de 700 metros da estrutura em madeira, após o que o percurso reabriu ao público em apenas metade da sua extensão habitual.

Entretanto, os procedimentos para reposição do troço destruído estão já em curso e Margarida Belém realça: "Continuamos a promover e a vender o nosso território apesar do impacto negativo do incêndio. Uma situação como essa também nos confere energia para reinventarmos o projeto e reconstruirmos o passadiço mais rapidamente, com a sua nova ponte suspensa".

A autarca antecipa, aliás, que os Passadiços deverão agora obter ainda maior visibilidade, na sequência do reconhecimento obtido com o World Travel Award. "O prémio traduz-se em promoção junto dos mercados e teremos que ser capaz de a capitalizar, para garantir uma procura constante ao longo de todo o ano e reduzir a sazonalidade no território ", anuncia.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.