sicnot

Perfil

País

Acessos e vento dificultam combate às chamas em Soure

A grande dificuldade nos acessos e o vento têm complicado o combate ao incêndio que começou na segunda-feira em Soure, distrito de Coimbra, e que mobiliza 504 operacionais, informou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

PAULO NOVAIS

O incêndio em Soure, que começou na segunda-feira e que tinha sido dominado às 09:30 de hoje, voltou a estar novamente ativo ao início da tarde, na sequência de um reacendimento, avançando com duas frentes.

De acordo com a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil, às 17:50 estavam no terreno 506 operacionais, apoiados por 165 veículos e cinco meios aéreos.

As chamas progridem em "terreno de difícil acesso", estando no limite entre Soure e Penela e aproximando-se também do concelho de Condeixa-a-Nova, disse à agência Lusa fonte do CDOS de Coimbra.

Até ao momento, não foi necessário proceder à evacuação de habitações, apesar de o incêndio já ter estado próximo das localidades de Cotas e Chanca, referiu a mesma fonte.

No terreno, estão presentes corporações dos distritos de Coimbra, Leiria, Aveiro, Viseu, Lisboa e Castelo Branco.

O incêndio em Soure, distrito de Coimbra, começou na freguesia de Tapéus, por volta das 15:30 de segunda-feira, e chegou a ter três frentes ativas.

Lusa

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17