sicnot

Perfil

País

Arcos de Valdevez aciona Plano Municipal de Emergência

A Câmara de Arcos de Valdevez acionou esta terça-feira à tarde o Plano Municipal de Emergência, na sequência dos fogos que lavram na zona do Soajo, informou o vice-presidente da autarquia, Hélder Barros.

O plano foi ativado pelas 16:10.

De acordo com o 2.º comandante de operações de socorro de Viana do Castelo, Robalo Simões, o incêndio tinha, pelas 18:50, duas frentes ativas, e obrigou à evacuação do lugar de Paradela.

Foram retiradas "14 a 16 pessoas", conduzidas para o Centro de Dia do Soajo, mas entretanto algumas delas já puderam regressar a casa.

Ainda segundo Robalo Simões, a maioria dos habitantes daquele lugar recusou abandonar o local.

A Proteção Civil chegou também a equacionar a hipótese de evacuar o lugar de Várzea, mas tal ainda não aconteceu. A situação está a ser acompanhada para avaliar o evoluir das chamas.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, disse que o incêndio provocou "queimaduras ligeiras" no rosto e no cabelo de dois habitantes de Paradela.

Um outro habitante também teve de ser assistido, por inalação de fumos.

Os três foram conduzidos para o Hospital de Ponte de Lima.

O incêndio deflagrou pelas 09:00 e chegou a ser dado como dominado, mas, como sublinhou Robalo Simões, reacendeu "com grande potência" ao início da tarde.

No local está uma retroescavadora a abrir uma estrada até ao lugar de Adrão, "para tentar chegar à cabeça do fogo".

Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.