sicnot

Perfil

País

Diretores querem calendário escolar com dois semestres

Mais de metade dos diretores dos agrupamentos escolares (54,1%) concorda que o calendário escolar passe para apenas dois semestres, em vez dos habituais três períodos letivos. Os dados são de um inquérito sobre sobre "O que pensam os diretores e os presidentes de Conselhos Gerais sobre questões pertinentes da escola portuguesa".

Dos presidentes de Conselhos Gerais inquiridos apenas 32,8% concorda com essa opção de dois semestres, mas, no entanto, uma considerável quantidade de presidentes inquiridos (41,2%) defende a necessidade de uma "revisão do calendário escolar".

Os três períodos letivos que existem atualmente são "desiguais na sua duração", sendo os dois primeiros quase semelhantes e o terceiro demasiado curto, explicou à Lusa Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), referindo que o feriado da Páscoa, que, por ser móvel, representa um "grande constrangimento" da atual situação.

"Todos os professores se queixam da pequenez do terceiro período letivo, que não dá para nada, a par dos feriados e da realização dos exames do 4.º e 6.º anos em tempo letivo, encurtando-o ainda mais", conta Filinto Lima, reconhecendo que a proposta passa pela criação de dois períodos letivos, semestrais, com o mesmo número de dias e dois momentos de avaliação".

Para o presidente da ADAEP, devem, todavia, manter-se as pausas do Natal, Carnaval e Páscoa.

"Muitos alunos, sabendo que não têm tempo para recuperar no último período, abandonam a escola ou comportam-se de forma leviana, perturbando as escolas e o seu ambiente", lamenta ainda o professor Filinto Lima, reiterando que os períodos letivos escolares devem ser "equilibrados, com o mesmo número de dias, e, por isso, defende "períodos semestrais".

O presidente da ADAEP defende uma "discussão alargada" e com "tempo para pensar na semestralidade", mas é defensor dos dois períodos de avaliação, à semelhança do que acontece nas universidades.

A maioria dos diretores de agrupamentos escolares (89,0%) e presidentes de Conselhos Gerais (86,3%) rejeita o atual processo de municipalização escolar, revela também o mesmo inquérito, da autoria do docente Alexandre Henriques.

O modelo de gestão, a municipalização escolar, a autonomia escolar e o calendário escolar, são questões "muito importantes" e o estudo mostra que os principais membros da comunidade escolar - diretores de agrupamentos e presidentes de Conselhos Gerais -- "não estão de acordo com o rumo que está a ser seguido", lê-se na conclusão do inquérito.

Outra das conclusões do estudo revela que os resultados escolares e as questões disciplinares continuam a ser o "principal motivo de preocupação de diretores de e presidentes, com as questões disciplinares a surgirem no "topo das preocupações".

Os dados revelam também que apenas 8,3% de diretores e presidentes de Conselhos Gerais sentem o seu trabalho "reconhecido" e ou "valorizado" pelo Ministério da Educação, valores que "deviam envergonhar e fazer refletir profundamente os visados", refere o autor do estudo, Alexandre Henriques.

O inquérito foi realizado em julho deste ano através da plataforma de formulários Google, um universo de 312 diretores e presidentes de escolas.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC