sicnot

Perfil

País

Duas aldeias evacuadas em Arcos de Valdevez

Em atualização

Duas aldeias evacuadas em Arcos de Valdevez

Um incêndio de grande dimensão levou as autoridades a dar ordem de evacuação nos lugares de Paradela e Várzea, em Arcos de Valdevez. De acordo com o comandante adjunto dos bombeiros, vários habitantes precisaram de assistência médica devido a inalação de fumo.

Segundo Delfim Mota, o incêndio é de grandes dimensões. As chamas deflagraram esta manhã em zona de povoamento florestal.

Em Paradela, não há condições neste momento para os habitantes voltarem às casas uma vez que existirão muitos estragos no local.

Entretanto, o vereador da proteção civil municipal de Arcos de Valdevez anunciou ter "mandado evacuar" também o lugar de Várzea, no Soajo.

Segundo Olegário Gonçalves em Paradela, na área do Parque Peneda Gerês (PNPG) "morreram animais", sem especificar a quantidade, e "alguns habitantes daquele lugar estiveram em risco de vida por terem ficado cercados pelas chamas".

Segundo a informação disponibilizada na página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 15:46, o combate aquele incêndio mobilizava 54 operacionais apoiados por 19 viaturas e dois meios aéreos.

As chamas deflagraram hoje às 9:08 em zona de povoamento florestal.

Com Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.