sicnot

Perfil

País

Investigação sobre helicópteros Kamov prossegue sem arguidos

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou esta terça-feira que "existem investigações em curso" relacionadas com os meios aéreos de combate aos incêndios, mas sem arguidos constituídos.

"Existem investigações em curso relativas à matéria dos meios aéreos de combate aos incêndios", refere a PGR, numa resposta enviada à agência Lusa, esclarecendo ainda que "a designada operação Crossfire não tem arguidos constituídos".

A informação da PGR surge no dia em que a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, afirmou que seguiram para o Ministério Público os resultados do inquérito da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) sobre a gestão dos meios aéreos, que incluiu os helicópteros Kamov.

"Está a decorrer também um processo judicial no Ministério Público. Achamos por bem também enviar alguns resultados do inquérito para o MP", disse Constança Urbano de Sousa.

Na sequência do inquérito realizado pela IGAI, a pedido do anterior Governo, o presidente da ANPC, Francisco Grave Pereira, demitiu-se do cargo.

Em janeiro último, no âmbito da operação Crossfire, a PJ realizou uma dezena de buscas em Lisboa, Porto e Portalegre, nomeadamente na sede da ANPC, em Carnaxide, para obtenção de provas relacionadas com contratos públicos de aquisição e manutenção de aeronaves para combate a incêndios.

Segundo uma nota da PGR emitida na altura, em causa estão suspeitas de corrupção, participação económica em negócio, falsificação e prevaricação na contratação internacional para aquisição de meios aéreos de combate a incêndios.

Em junho passado, na comissão parlamentar de Agricultura e Mar, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse que os três helicópteros Kamov inoperacionais continuam por reparar, estando o processo de manutenção e reparação destas aeronaves a ser investigado pelo Ministério Público.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.