sicnot

Perfil

País

Marcelo condecora António Champalimaud a título póstumo com Ordem do Mérito

MIGUEL A. LOPES

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta terça-feira, a título póstumo, o empresário António Champalimaud com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, durante a cerimónia de entrega dos Prémios Champalimaud de Visão 2016.

No anfiteatro ao ar livre da Fundação Champalimaud, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que esta "é uma homenagem justa" a António Champalimaud, "que a serena distância histórica converte em inadiável", considerando que "a democracia portuguesa nunca reconheceu devidamente a envergadura da sua decisão fundadora".

"A força das democracias reside em não terem complexos nem temores sempre que se trata de fazer justiça. Neste caso, fazer justiça em nome de Portugal", acrescentou.

Segundo o chefe de Estado, a decisão de António Champalimaud deixar como herança a criação da Fundação Champalimaud foi "um passo de inequívoco relevo filantrópico nacional e internacional" e "um passo que mais nenhum outro português deu, neste tempo, na área fundacional com tão vasto alcance patrimonial e social".

A Grã-Cruz da Ordem do Mérito foi entregue pelo Presidente da República à filha do empresário, Maria Luísa Champalimaud.

A Ordem do Mérito destina-se a " galardoar atos ou serviços meritórios praticados no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade".

O chefe de Estado descreveu António Champalimaud como "um homem que, como todas as personalidades fora do comum, suscitou admiração e acrimónias na sua vida empresarial, como nas suas posições cívicas", e ao qual "era indiferente esse entrechocar de opiniões e de sentimentos".

"Quis o destino que coubesse a quem algumas vezes louvou e algumas outras divergiu e criticou, como cidadão, o empresário e o cidadão António Champalimaud o assumir a responsabilidade nacional de realçar e galardoar o benfeitor social António Champalimaud condecorando-o a título póstumo com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República elogiou também a presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza, sobre quem disse que tem tido uma "liderança inteligente, lúcida, culta, e por isso cosmopolita".

Nesta cerimónia de entrega dos Prémios Champalimaud de Visão estiveram presentes, entre outros, os antigos presidentes da República Aníbal Cavaco Silva e António Ramalho Eanes, os ministros do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e do Mar, Ana Paula Vitorino, e o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".