sicnot

Perfil

País

Oito pessoas acolhidas na Misericórdia de Boticas devido ao fogo

Seis idosos e duas crianças foram retirados da aldeia de Torneiros e acolhidos na Misericórdia de Boticas devido a um fogo que queimou pelo menos "três armazéns" nesta localidade, segundo fontes da câmara e da Santa Casa.

A ordem foi para evacuar a aldeia de Torneiros devido à proximidade de um fogo, mas, segundo o presidente da autarquia, Fernando Queiroga, muitos preferiram ficar para proteger os seus bens conjuntamente com os bombeiros e restantes elementos da Proteção Civil.

Por isso mesmo, foram retiradas da aldeia as pessoas mais vulneráveis.

O presidente da Santa Casa da Misericórdia de Boticas, Fernando Campos, disse à Lusa que um ginásio da instituição foi transformado num centro de acolhimento onde chegaram seis idosos, praticamente todos com mais de 80 anos, e duas crianças, que aqui vão jantar e passar a noite.

O responsável disse ainda que a Misericórdia está preparada para acolher mais pessoas se assim for necessário, estando a equipa de motoristas, assistentes, psicólogos e assistentes preparada para dar todo o apoio aos que tiverem de ser retirados.

O presidente da câmara disse que, neste momento, o incêndio já não oferece perigo para a aldeia de Torneiros, onde, no entanto, arderam "pelo menos três armazéns".

Este fogo lavra desde as 16:17 de segunda-feira e está a ser combatido por 124 operacionais e 39 viaturas e conta com o apoio de dois meios aéreos e dirige-se, agora, para a área das aldeias de Mosteirão, Curros e Pinho.

Este incêndio sofreu uma reativação já esta manhã e conta com um reforço de operacionais provenientes de Leiria.

"Continua a lavrar com muita intensidade, muito violento, e os meios parecem ser insuficientes", afirmou o autarca, para quem não há "dúvida de que este fogo teve origem criminosa", já que foram detetados quatro focos em simultâneo ao longo da estrada municipal.

Hoje, um outro fogo deflagrou também na zona de Codessoso, Boticas, cerca das 13:28 e está a ser combatido por 42 bombeiros e 10 viaturas.

Também nos concelhos de Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar os incêndios rodeiam várias aldeias, já queimaram uma vasta área de mato e pinhal e atingiram também algumas habitações devolutas.

As chamas deflagraram em Alvadia, Ribeira de Pena e já passaram para o concelho vizinho de Vila Pouca de Aguiar, condicionado a circulação na estrada nacional que liga os dois municípios. O combate a este fogo mobiliza 154 operacionais, 39 viaturas e dois meios aéreos

Em Vila Pouca de Aguiar um outro fogo, na zona de Soutelinho do Mezio, Telões, está a ser combatido por 93 homens, 27 viaturas e um meio aéreo.

A página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil dava conta de oito incêndios ativos no distrito de Vila Real, pelas 20:00, que mobilizam 413 operacionais, 119 viaturas e quatro meios aéreos.

Lusa

  • 2017 regista o valor mais alto de área ardida da última década
    0:56
  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de fraco
    1:46