sicnot

Perfil

País

Polícia de Viseu vai ter patrulhamento em bicicleta

O comandante da PSP de Viseu, Victor Rodrigues, anunciou esta terça-feira que a força policial passou a contar com um policiamento em bicicleta destinado especialmente à zona histórica da cidade de forma a garantir o normal funcionamento do tráfego.

"O objetivo principal deste policiamento em bicicleta passa por garantir a normal fluidez do tráfego de pessoas e veículos. O que se pretende com este policiamento é realmente um policiamento mais próximo e mais eficiente, porque as bicicletas permitem uma deslocação mais fácil para a zona histórica e naquelas ruas estreitas", alegou.

Durante a apresentação do novo programa de patrulhamento, que decorreu durante a manhã desta terça-feira, Victor Rodrigues explicou que a zona histórica da cidade de Viseu tem cada vez mais gente, depois da recuperação de algumas casas que estavam devolutas e da instalação da escola Mariana Seixas na rua Direita.

"O movimento tem aumentado e sendo uma zona também de diversão noturna, há sempre muito movimento, sendo nossa intenção, com este tipo de policiamento, garantirmos a normal fluidez do tráfego, evitando o estacionamento indevido, que prejudica todo o trânsito. Temos verificado que continua a haver alguns abusos por parte da população, essencialmente na zona histórica, o que causa alguma má imagem ao turista que nos visita e alguns incómodos aos que cá estão", justificou.

De acordo com o comandante da PSP de Viseu, serão quatro os agentes que farão este patrulhamento em bicicleta, com equipamento adequado e divididos em duas equipas de dois elementos.

"Pretendemos que estejam operacionais sempre que o tempo o permitir, sendo claro que será no período de abril ou maio até outubro, pelo menos. Sempre que o tempo o permitir, utilizaremos este tipo de policiamento", acrescentou.

Este tipo de policiamento será feito "nos horários mais úteis" e "eventualmente à noite, embora no período noturno exista outro tipo de policiamento e o trânsito também causa menos problemas".

"As áreas de influência vão ser a zona histórica, a zona do Rossio e a Alberto Sampaio. Também o parque (Aquilino Ribeiro) muito frequentado por estudantes e vamos aproveitar esta facilidade de deslocação também para o Fontelo", informou.

O patrulhamento em quatro bicicletas junta-se assim ao policiamento que já é feito por agentes nos quatro segways existentes no comando.

"Vamos tentar esta experiência piloto, espero que seja útil. Acho que é um policiamento muito mais efetivo e próximo do cidadão e vamos ver se resultará: queremos crer que sim e se for útil, estenderemos a Lamego", concluiu.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59