sicnot

Perfil

País

Várias viagens fluviais entre o Barreiro e Lisboa suprimidas até sexta-feira

A ligação fluvial entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, está condicionada entre esta terça e sexta-feira, com o Sindicato dos Trabalhadores Fluviais a referir que as supressões de viagens se devem à falta de trabalhadores.

No portal Transportes de Lisboa, que reúne a informação sobre os transportes urbanos na região, foram anunciadas várias supressões ao longo dos quatro dias, apenas no período da manhã e nos dois sentidos.

A ligação entre o Barreiro e Lisboa é assegurada pela Soflusa.

O Sindicato dos Trabalhadores Fluviais Costeiros e da Marinha Mercante referiu entretanto, em comunicado, que na origem das supressões anunciadas está a "falta de trabalhadores para preencher as vagas deixadas em aberto por rescisões impostas pelo anterior conselho de administração".

"Este último trimestre, com a entrada dos períodos de férias, veio destacar mais ainda toda esta situação. Ao fim destes meses, o problema tem sido compensado com um enorme volume de trabalho extraordinário que começou agora a trazer os seus problemas de saúde e cansaço aos trabalhadores da empresa, esgotados com todo este esforço físico e mental", refere a nota.

O sindicato acrescenta que nas reuniões com a empresa a questão da admissão de novos trabalhadores tem sido sempre colocado, mas a resposta é que "os orçamentos não o permitem e o ministro das Finanças não autoriza".

"Com o novo Governo continuamos com o mesmo problema do não investimento na contratação e com o tempo será a renovação das frotas posta em causa. Esta situação não é exclusiva da Soflusa, a Transtejo também sofre com todos estes impedimentos. O futuro de um transporte fluvial condigno, confortável e em segurança entre as duas margens do rio Tejo está em perigo", refere o sindicato.

No site da Transportes de Lisboa não é indicado qualquer motivo para a supressão de viagens.

Lusa

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.