sicnot

Perfil

País

Fogo na Guarda progride em zona de "poucos acessos"

O incêndio florestal que lavra no concelho da Guarda, na freguesia de Trinta e Corujeira, tem uma frente ativa e progride numa zona de "poucos acessos", disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, pelas 21:35, o fogo, que começou às 13:34 numa zona de mato, apresentava "uma frente ativa com cerca de dois quilómetros" e lavrava numa zona de acessos difíceis para homens e viaturas.

Durante a tarde as chamas rodearam as aldeias de Corujeira e Trinta, mas não atingiram habitações.

"Na Corujeira, [o fogo] chegou mesmo às casas, esteve dentro do povo, mas não causou danos em habitações", disse José Morgado, secretário da Junta de Freguesia de Corujeira e Trinta.

O autarca referiu ainda à Lusa que as chamas destruíram palheiras e casas de quintas que se encontravam desabitadas.

De acordo com a informação disponibilizada na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, pelas 21:44 o fogo estava a ser combatido por 115 operacionais, auxiliados por 33 veículos.

Lusa

  • Os apelos de Marcelo para a reforma do Estado
    1:36

    País

    O Presidente da República lamentou este sábado que o consenso para uma reforma do Estado seja um sonho adiado. No enceramento do congresso "Portugal no Futuro", Marcelo Rebelo de Sousa apelou a entendimentos em áreas estratégicas e defendeu que é preciso passar as palavras à ação, o quanto antes.

    Débora Henriques

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52