sicnot

Perfil

País

Já ardeu metade da mancha florestal de Boticas

© Reuters

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, disse esta quarta-feira que o incêndio que lavra desde segunda-feira já destruiu metade da mancha florestal do concelho, deixando cerca de dois mil hectares queimados e um "cenário desolador".

Este fogo que deflagrou na zona de Codessoso, no concelho de Boticas, lavra desde as 16:17 de segunda-feira, já queimou uma vasta área de pinhal e obrigou à retirada, na terça-feira, das pessoas mais vulneráveis, como crianças e idosos, da aldeia de Torneiros.

"Arderam cerca de dois mil hectares, 90% da área é pinhal. Muito, muito prejuízo, é desolador olhar para o meu concelho agora", afirmou Fernando Queiroga.

O presidente da autarquia referiu, ainda, que "50% da mancha florestal do município desapareceu nas últimas 24 horas".

"Esta manhã as coisas estão um pouco melhores. Durante a noite conseguimos dar cabo das frentes que trazíamos e agora estamos a posicionar os homens por causa dos reacendimentos. No terreno, estão também três máquinas de rasto", afirmou o autarca.

Segundo Fernando Queiroga, perto da aldeia de Mosteirão há uma zona que é de muito difícil acesso. Durante a noite não era possível lá ir e estão agora a ser mobilizados operacionais para combater aquele foco.

A combater o incêndio em Boticas estão esta manhã 291 operacionais, com 90 viaturas, contando com o apoio de um helicóptero. Para ali, foram já mobilizados reforços de Leiria e Lisboa.

Desde o final da manhã de terça-feira que Fernando Queiroga reivindicava mais meios para ajudarem a controlar as chamas no concelho, que começaram a chegar apenas com o cair da noite.

No distrito de Vila Real, continua ainda ativo o fogo que lavra desde as 10:48 de segunda-feira, na zona de Soutelinho do Mezio, em Vila Pouca de Aguiar, e mobiliza 104 homens e 31 viaturas.

O combate a este fogo foi reforçado com uma equipa proveniente do Sul do país.

Durante a noite foi dado como em conclusão o outro fogo que preocupou populações e autoridades no distrito, em Alvadia, no concelho de Ribeira de Pena.

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14
  • Ambientalistas consideram insuficiente estratégia de Bruxelas para reduzir plástico
    2:07