sicnot

Perfil

País

Mais de 1.200 operacionais combatem os nove maiores fogos

Mais de 1.200 operacionais estavam esta quarta-feira à tarde, pelas 18:30, a combater os nove maiores incêndios que lavram no continente português, em sete distritos, com o apoio de 428 viaturas e 16 meios aéreos, segundo informação da Proteção Civil.

Os nove maiores incêndios em curso -- destacados na página da Proteção Civil na internet como "ocorrências importantes" -- localizam-se nos distritos de Castelo Branco, Bragança, Vila Real, Viana do Castelo, Braga, Guarda e Aveiro.

Entre as "ocorrências importantes" destaca-se um incêndio em povoamento na localidade de Braçal, no concelho de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, que lavra desde cerca das 14:00 de hoje e é, ao fim da tarde, o fogo que mobiliza mais meios operacionais no terreno, com a presença de 314 elementos de forças de socorro, auxiliados por 103 viaturas e seis meios aéreos.

No distrito de Bragança, está em curso um incêndio em mato, que deflagrou na terça-feira pelas 11:00 em Freixo de Espada à Cinta e que chegou a estar em conclusão, mas teve um reacendimento hoje pelas 14:30, mobilizando 191 operacionais, 76 meios terrestres e dois meios aéreos.

Este fogo atingiu entretanto os concelhos de Mogadouro e Torre de Moncorvo.

Já no distrito de Vila Real continua ativo o incêndio na localidade de Soutelinho do Mezio, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, que deflagrou cerca das 10:40 de segunda-feira e que está a ser combatido por 162 operacionais, auxiliados por 48 viaturas e três meios aéreos.

No distrito de Viana do Castelo, encontram-se em curso dois grandes incêndios, um no concelho de Arcos de Valdevez e outro no concelho de Monção, combatidos por um total de 188 operacionais, 58 viaturas e um meio aéreo.

Em Braga continuam a lavrar dois fogos, um no concelho de Cabeceiras de Basto, que teve início na terça-feira, pelas 06:00, e que mobiliza 125 operacionais, 45 viaturas e um meio aéreo, e outro no concelho de Vieira do Minho, que deflagrou na segunda-feira, pelas 17:00, e que se encontra a ser combatido por 75 bombeiros e 25 veículos.

Na localidade da Corujeira, no concelho da Guarda, está a ser combatido um incêndio em mato com duas frentes ativas, que deflagrou hoje, pelas 13:30, e que mobiliza 115 elementos de forças de socorro, apoiados por 33 viaturas e dois meios aéreos.

Outro dos nove fogos lavra no distrito de Aveiro - um incêndio em povoamento com uma frente ativa que deflagrou na terça-feira, pelas 03:00, na localidade da Junqueira, no concelho de Vale de Cambra, e que está a ser combatido por 123 operacionais, apoiados por 40 viaturas e um meio aéreo.

A Proteção Civil destaca na sua página da Internet como ocorrências importantes os fogos florestais com mais de três horas e com mais de 15 meios.

Lusa

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira