sicnot

Perfil

País

Presidente da República manifesta pesar por morte de personalidade excecional

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou esta quarta-feira o "pesar de Portugal" pela morte do antigo presidente da Assembleia da República António Barbosa de Melo, uma personalidade intelectual, política e moral que considera "singular e excecional".

"O país acaba de perder uma personalidade singular, excecional enquanto personalidade intelectual, excecional enquanto personalidade política e sobretudo excecional enquanto personalidade moral", refere Marcelo Rebelo de Sousa num vídeo disponibilizado na página da Presidência da República.

O antigo presidente da Assembleia da República António Barbosa de Melo morreu hoje, aos 83 anos, no Centro Hospital e Universitário de Coimbra, tendo o Presidente da República apresentado à família e à Universidade de Coimbra "o pesar de Portugal", ao mesmo tempo que recorda "um grande amigo".

Segundo o Presidente da República, Barbosa de Melo foi uma "personalidade intelectual na universidade, na cultura, no ensino" e uma "personalidade política na constituinte, no parlamento, na presidência da Assembleia da República, na intervenção política ao longo de décadas".

"E uma personalidade moral pela forma como aliava a inteligência à emoção, o caráter à cultura, com uma profunda bondade", destacou.

Investigador e professor catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, António Moreira Barbosa de Melo foi um dos fundadores do PSD, no qual exerceu diversos cargos nos órgãos nacionais.

Integrou a Comissão para a elaboração da lei eleitoral para a Assembleia Constituinte em 1974, da qual foi também deputado. Exerceu novamente o mandato de Deputado na Assembleia da República nos anos de 1976-1977 e 1991-1999.

Foi Presidente da Assembleia da República durante a VI Legislatura (1991-1995) e foi membro do Conselho de Estado.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.