sicnot

Perfil

País

António Costa diz que estará em breve mais três vezes com Temer

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que o seu encontro com o Presidente brasileiro, na quarta-feira, foi meramente "formal", mas salientou que, em breve, segue-se uma intensa agenda luso-brasileira, estando com Michel Temer em três cimeiras.

António Costa falava aos jornalistas a meio da sua visita às instalações dos atletas portugueses nos Jogos Paralímpicos, no Rio de Janeiro, depois de interrogado sobre o caráter do seu encontro com o chefe de Estado brasileiro, que foi contestado sobretudo pelo Bloco de Esquerda.

Com Michel Temer, segundo o líder do executivo português, na quarta-feira, teve "um encontro formal de cortesia no âmbito da receção que o Presidente do Brasil ofereceu aos chefes das delegações internacionais presentes nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro".

No entanto, logo a seguir, António Costa referiu que, no início de novembro, haverá "uma cimeira entre os governos português e brasileiro, a qual está a ser intensamente preparada".

"Uma cimeira que terá lugar a seguir às cimeiras da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa), também em Brasília, e a outra que junta os países ibero-americanos. Por outro lado, já em outubro, três membros do Governo português estarão no Brasil numa missão para captação de investimento, visitando Belo Horizonte, Rio de Janeiro", apontou o primeiro-ministro.

António Costa salientou então que entre Portugal e o Brasil haverá "uma agenda muito intensa em breve, com três dimensões distintas: a ibero-americana, a lusófona e a bilateral luso-brasileira".

"Serão três momentos em que estaremos certamente juntos", disse, numa alusão a Michel Temer.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.