sicnot

Perfil

País

Bloco pede divulgação do inquérito à morte de militar em curso dos Comandos

O Bloco de Esquerda (BE) pediu esta quinta-feira ao Governo que divulgue o relatório do inquérito à morte de um militar no curso de Comandos do Exército, no domingo, questionando se "os abusos continuam" apesar de situações semelhantes no passado.

Num requerimento entregue esta quinta-feira na Assembleia da República, a bancada bloquista pede acesso, através do Ministério da Defesa Nacional, ao relatório do inquérito instaurado pelo chefe do Estado-Maior do Exército à morte do jovem, "a fim de conhecer as causas e os procedimentos que estiveram na origem deste trágico episódio".

Um homem morreu no domingo, na sequência de um "golpe de calor" durante um treino dos Comandos, e diversos outros receberam assistência hospitalar, estando ainda internados cinco: um no Curry Cabral - e que hoje se encontrava em lista de espera para transplante hepático -, três no Hospital das Forças Armadas e outro no Hospital da Cruz Vermelha.

No pedido, os deputados João Vasconcelos e Pedro Filipe Soares consideram essencial que o inquérito "apure todas as responsabilidades".

"Já no passado, o país foi confrontado com exercícios em cursos de Comandos que não respeitavam a integridade dos formandos. Foi isso que se repetiu", perguntam os bloquistas.

Para o BE, "se assim for, só prova que no passado não se fez tudo o que se deveria ter feito e que os problemas apenas foram omitidos, para os abusos continuarem a ser perpetrados".

O ministro da Defesa, José Azeredo Lopes, anunciou hoje que os cursos de Comandos do Exército vão ficar suspensos até ao final do inquérito à morte do militar, mas o Exército já esclareceu que o curso atualmente a decorrer - o 127.º - vai manter-se de forma "controlada e adaptada" e que apenas os próximos cursos é que vão ser suspensos até conclusão dos inquéritos em curso.

Lusa

  • Incêndio em Lisboa faz um ferido
    4:13

    País

    Um incêndio de grandes dimensões deflagrou esta segunda-feira numa loja, na Avenida de Berlim, em Lisboa. O repórter André Palma esteve no local, onde ouviu o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa. Pedro Patricio confirmou que foi assistida uma pessoa por inalação de fumos e, por questões de segurança, os veículos estacionados perto do local foram retirados, assim como foi pedido às pessoas dos prédios à volta que saíssem por causa do fumo. O incêndio foi dominado.

  • "Rui Rio avisou que vinha para partir loiça dentro do PSD"
    3:00
  • Hugo Soares não deverá continuar como líder parlamentar do PSD
    3:17

    País

    Rui Rio não deverá manter Hugo Soares na liderança parlamentar do PSD. Fonte próxima do novo presidente social-democrata diz à SIC que dificilmente o líder da bancada poderá continuar no cargo. Aumenta a pressão para que Hugo Soares ponha o lugar à disposição e já começam a surgir nomes para o substituir.

  • Suspeita de militantes fantasma no PSD
    4:22

    País

    Perante a suspeita de militantes fantasma e de caciquismo, Salvador Malheiro, diretor de campanha de Rui Rio, diz que o ato eleitoral foi devidamente fiscalizado. Uma investigação do jornal Expresso encontrou oito filiados numa morada que não existe e 17 militantes com morada numa casa onde vivem nove pessoas e nenhuma é do PSD. A associação cívica Transparência e Integridade fala num vazio legal e em falta de regulamentação.

  • Cristiano Ronaldo está insatisfeito com o salário e pode sair do Real Madrid
    2:38