sicnot

Perfil

País

Condições do terreno dificultam combate a fogo em Monchique

LUSA

O incêndio em Fóia, concelho de Monchique, no distrito de Faro, tinha na madrugada de hoje duas frentes ativas, divididas em quatro setores, com a orografia do terreno a dificultar o combate às chamas, disse o comandante operacional distrital.

Em declarações à agência Lusa pelas 4:00, o comandante operacional distrital de Faro, Vaz Pinto, explicou que a reativação do incêndio às 19:57 foi "muito explosiva" e que o combate estava "a desenrolar-se numa área bastante difícil".

Por medidas de precaução foram retiradas das suas casas oito pessoas, algumas com mobilidade reduzida, as quais foram realojadas em casas de familiares ou num lar pela proteção civil, indicou a mesma fonte.

O comandante Vaz Pinto disse ainda que "algumas habitações dispersas foram afetadas, mas nenhuma ardeu", sublinhando que "apenas algumas ruínas ou casas desabitadas foram afetadas".

Este fogo mobilizava hoje por volta das 04:00 um total de 268 operacionais, apoiados por 88 meios.

Quatro incêndios em Portugal Continental, nos distritos de Guarda, Bragança, Vila Real e Faro, mobilizavam àquela hora cerca de 750 operacionais apoiados por 249 meios terrestres.

Lusa

  • Incêndio em Freixo de Espada à Cinta obriga a evacuação de lar de idosos
    0:35

    País

    Em Freixo de Espada à Cinta, distrito de Braga, um incêndio reacendeu e chegou a estar muito próximo das habitações e animais de gado. Um lar de idosos teve de ser evacuado por precaução. Mais de 200 bombeiros combatem as chamas. O fogo foi dado como dominado mas reacendeu durante a tarde de ontem e mantém-se com quatro frentes ativas. As chamas consomem sobretudo mato e mobilizam mais de 80 meios terrestres.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15