sicnot

Perfil

País

Conselho de Ministros discute hoje viagens pagas pela Galp

O Conselho de Ministros discute hoje o código de conduta, documento prometido pelo Governo depois da polémica das viagens pagas pela Galp a Secretários de Estado durante o Euro 2016.

A criação do código foi prometida no início de agosto pelo ministro Augusto Santos Silva para definir regras sobre a aceitação de ofertas por parte de membros do Governo e altos dirigentes da Administração Pública.

A elaboração do texto ficou a cargo do Ministério da Presidência.

O documento vai ser debatido hoje, antecipando assim o prazo apontado pelo própiro executivo que previu tê-lo pronto só no final de setembro.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.