sicnot

Perfil

País

Fogo com duas frentes ativas persiste em Monchique e Portimão

O incêndio no Algarve com duas frentes ativas de grande extensão continua a progredir nos concelhos de Monchique e Portimão, disseram à Lusa várias fontes da proteção civil.

"A área ardida nas últimas 24 horas é maior do que a que ardeu no fogo que decorreu durante o fim de semana", afirmou o presidente da Câmara Municipal de Monchique, Rui André, apesar de ainda não ter números concretos da área afetada.

Segundo disseram à Lusa o presidente da Câmara Municipal de Monchique e do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, "inexplicavelmente, e por vezes, o fogo tem tomado direções contrárias ao vento" verificando-se ao início da noite que as chamas progrediram para a freguesia de Marmelete e das Caldas de Monchique apesar do vento de noroeste.

"Neste momento temos duas frentes ativas que agora com a noite e com a humidade vamos tentar resolver, mas a verdade é que o vento não está a ajudar", observou Rui André.

O fogo deflagrou no passado sábado, 03 de setembro, foi dado como extinto no domingo mas reacendeu-se esta quarta-feira tendo vindo a progredir para sul e entrou ao início da tarde de hoje no concelho de Portimão.

Por precaução, foram deslocadas 16 pessoas - idosas e com mobilidade reduzida -, encaminhadas depois para casa de familiares, centros de dia e para um pavilhão desportivo de apoio à Proteção Civil.

As povoações do Carriçal, Moinho da Rocha e Tabual e o hotel Pestana junto ao Autódromo Internacional do Algarve durante a tarde de hoje.

O combate tem sido dificultado pelas condições atmosféricas, nomeadamente o vento forte que tem fustigado a zona desde quarta-feira à noite.

Segundo o site da Proteção Civil, 478 operacionais auxiliados por 163 viaturas combatiam este incêndio pelas 22.30 desta quinta-feira.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão